Frederico Morais, o único surfista português no Championship Tour de 2018, esteve perto de fazer um resultado excelente no Corona Open J-Bay, sexta etapa do circuito. Dividindo as possíveis classificações em três categorias, o 9º lugar que tirou em Jeffreys Bay ficaria no meio, com a 25ª e 13ª classificações na categoria do “mau” e a partir do 5º lugar, os quartos de final man-on-man, enquadra-se no “bom a excelente”.

Kikas acabou eliminado por 0.1 pontos, uma diferença tão pequena que poderia claramente ter dado para qualquer lado. Independentemente da justiça ou injustiça da sua derrota, os 3.700 pontos que angariou permitiram-lhe subir 3 posições, saindo do 21º lugar para uma posição ligeiramente mais confortável, 0 18º lugar. Esta subida deveu-se também às ausências do reformado Mick Fanning e do lesionado John John Florence, mas não deixou de ser uma prestação com muito mérito.

Segue-se o Billabong Pro Teahupoo, uma das etapas de menor sucesso em 2017 para o surfista português. Para não voltar a cair no ranking “Freddy” terá de passar alguns heats no Tahiti, algo que está claramente ao seu alcance.

Outro surfista sem grande historial em Teahupoo é o actual líder do ranking, Filipe Toledo. Depois de uma prestação avassaladora na África do Sul é provável que a sua vantagem sobre o segundo e terceiro classificados, Julian Wilson e Gabriel Medina, “emagreça” ou mesmo desapareça, voltando à mesmo posição logo na etapa seguinte, o Surf Ranch Pro.

As grandes subidas no ranking nesta etapa foram protagonizadas por Wade Carmichael, que subiu 8 posições e passou para o 6º lugar do ranking, e Kanoa Igarashi, que estava fora da “bolha” e com o seu 3º lugar subiu 6 lugares, passando para o 17º lugar do ranking.

A próxima etapa será o Billabong Pro Teahupoo, que se realiza entre 10 e 21 de Agosto.

Comentários