O ano competitivo da WSL está quase a entrar no seu último trimestre e, com isso, as oportunidades vão diminuindo para muitos dos competidores do tour. Neste momento apenas faltam 3 etapas QS de 10.000 pontos e 4 de 3.000, o que significa que a maior parte dos pontos da foram distribuídos.

Numa boa posição para regressar ao Championship Tour está Frederico Morais, que acabou de subir 20 posições no ranking. Foi um ano com alguns altos e baixos mas tudo mudou no último mês. Mais cedo no ano Morais conquistou um histórico 3º lugar na etapa do Championship Tour realizada no Brasil e venceu o Pro Santa Cruz, etapa de 3.000 pontos realizada em ondas portuguesas.

Pouco aconteceu desde aí até Setembro, quando conquistou um 9º lugar na etapa de 10.000 pontos de Pantin, juntando assim mais 3.700 pontos no ranking, o que lhe garantiu o regresso ao top30. Seguiu-se o ISA World Surfing Games no Japão onde Frederico, depois de bater nomes como Ítalo Ferreira, Kelly Slater, Kanoa Igarashi fixou-se como o melhor Europeu em prova e conseguiu a vaga do velho continente para os Jogos Olímpicos, um feito que seguramente está entre os mais impressionantes da sua carreira.

Morais apenas esteve em casa algumas horas antes de seguir para a Ilha de São Miguel, para disputar o Azores Airlines Pro. Apesar de ter passado alguns heats em segundo lugar cedo na prova, o surfista de Cascais foi crescendo ao longo dos dias do evento e no dia final esteve imparável, vencendo a prova e garantindo mais 6.000 pontos no ranking. A vitória permitiu-lhe uma subida para a 10º posição do tour de qualificação, com 14.400 pontos, ficando pelo primeira vez este ano dentro do cut para o Championship Tour de 2020. Como pontuações a descartar Frederico mantém provas de 1.050 e 650, pontos que deverão ser substituídas entre a prova de Ribeira D’Ilhas, o EDP Billabong Pro Ericeira, e as provas havaianas.

Quem também subiu bastante no ranking foi Vasco Ribeiro, um surfista cujo 9º lugar em São Miguel não fez justiça ao surf que apresentou. Mesmo assim o ex-campeão mundial júnior subiu 12 posições, passando para o 57º lugar do ranking. O tour segue agora para a Ericeira, onde mais 10.000 pontos serão distribuídos pelos melhores surfistas.

Comentários

Os comentários estão fechados.