De 30º para 10º lugar e, agora, para 6º, Frederico Morais já está bem perto do regresso ao Championship Tour da WSL.

Em Ribeira D’Ilhas, onde se realizou o EDP Billabong Pro Ericeira, o surfista de Cascais avançou várias baterias, igualando o seu resultado da prova de 10.000 pontos da Galicia, 9º lugar, juntando assim mais 3.700 pontos. Além desses dois resultados Morais conta com os 3.000 da sua vitória no Pro Santa Cruz e os 6.000 dos Azores Airlines Pro. Os seus 17.450 pontos colocam-no em 6º lugar no ranking, uma pontuação que poderá já ser suficiente para entrar no Tour de 2020, mas ainda não é certo.

Neste momento Frederico está dentro do cut com alguma margem, já que dois surfistas do top10, Yago Dora (2º) e Deivid Silva (10º), são neste momento double qualifiers, estão qualificados tanto pelo Championship Tour como pelo QS, abrindo mais duas vagas no ranking de qualificação. Para ficar seguro no circuito do próximo ano, Morais deverá substituir o seu resultado mais baixo, uma prova de 1.050 pontos, por algo como um 9º lugar numa das prova havaianas, o que o colocaria acima dos 20.000 pontos, uma margem segura para a requalificação.

Acima de Kikas no ranking apenas um dos competidores não fala português, Jake Marshall, em 5º lugar, enquanto que os brasileiros Jadson André, Yago Dora, Alex Ribeiro e Miguel Pupo ocupam as quatro primeiras posições do ranking. Abaixo, entre o 7º e o 12º lugar, estão Jogann Couzinet, Connor O’Leary, Samuel Pupo, Deivid Silva, Matt Banting e Barron Mamiya, todos dentro do cut para 2020.

Além das cruciais duas provas da Triple Crown havaiana, ambas de 10.000 pontos, ainda se realiza uma prova que poderá ter alguma influência no ranking, o HIC Pro, prova de 3.000 pontos realizada a partir de 28 de Outubro em Sunset. Frederico Morais é um dos inscritos nessa prova mas a sua presença não é certa devido à proximidade com o final do período de espera do MEO Rip Curl Pro Portugal, prova do Championship Tour realizada em Peniche.

Comentários