Flashback | Matt Wilkinson aos 18 anos

publicado há 9 meses por 0

flashback-matt-wilkinson-18

Em que ponto nas suas carreiras estavam os melhores surfistas da actualidade quando eram adolescentes? Fica a conhecer o “roteiro” da vida dos teus surfistas preferidos, da adolescência à actualidade.

Surfista – Matt Wilkinson

Tinha 18 anos em – 2008

Idade actual – 26

Em que ponto estava a sua carreira aos 18 anos…

Apesar de ter mostrado algum sucesso a nível competitivo e de seguir o percurso normal para um surfista da sua idade, ainda era uma incógnita se iria ser um surfista de competição ou um free surfer aérelista. De facto Wilko já tinha sido vice-campeão do competitivo junior series da Austrália e campeão mundial de sub16 no ISA World Junior Championships de 2004, no Tahiti, batendo na final Julian Wilson, Joan Duru e Tanner Gudauskas. A Rip Curl já o patrocinava desde os seus 10 anos mas o primeiro grande contrato que recebeu (da marca que o patrocina até hoje) foi em 2006. Esse acordo garantia-lhe o patrocínio por 5 anos e o seu primeiro wildcard para competir numa etapa do Championship Tour, o Rip Curl Pro Bells, onde competiu ao lado de Owen Wright, também wildcard. Apesar de ambos terem perdido no round 2, mostraram bom surf e deixaram a promessa de dar muito trabalho no futuro.

wilko2

Como foi a sua evolução…

Em 2007 atacou o QS a tempo inteiro e no ano seguinte fez três 3ºs lugares em etapas de seis estrelas, a cotação máxima da época, qualificando-se com facilidade para o CT de 2010 mesmo sem ter conseguido qualquer vitória. Foi nesta época que deixou de ter o surf progressivo como o seu ponto forte, passando para o seu surf de backside.

No Championship Tour…

Wilko não teve um percurso fácil na elite do surf mundial apesar de, por várias vezes, ter mostrado bom surf. Um dos seus melhores momentos foi na etapa de abertura do tour em 2011, onde venceu o primeiro e terceiro rounds, batendo surfistas como Kelly Slater e Bede Durbidge. E, apesar de estar com surf para vencer a prova, apanhou um inspiradíssimo Tiago Pires nos quartos de final e foi eliminado. A nível competitivo outro ponto alto foi a sua final em Steamer Lane, Santa Cruz, uma etapa que não voltou a realizar-se.

Há quem diga que a sua competitividade perdia-se devido à sua personalidade colorida fora de água, já que parecia mais um entretainer que uma máquina de competir. Os seus vídeos eram sempre divertidos e os seus fatos customizados a cada paragem do tour provavelmente garantiram-lhe mais exposição que outros surfistas mais bem cotados no tour. No entanto os anos passavam e Wilkinson continuava só em modo sobrevivência no tour.

wilko3

Depois de algumas derrotas duras este australiano mudou a sua postura e começou a tentar focar-se mais no circuito. Os resultados não foram imediatos e em 2015 fez uma das melhores decisões da sua carreira, recrutou o seu amigo Glenn “Micro” Hall para seu treinador.

Onde está agora…

No topo do ranking. 2016 está a ser um ano mágico para Matt Wilkinson. Tudo começou com uma vitória no QS 6.000 de Newcastle e evoluiu para duas vitórias consecutivas no Championship Tour, o que lhe garantiu uma liderança “absurda” no ranking. Após 3 etapas ainda não surgiu um rival sério ao seu primeiro lugar já que o actual número 2, Sebastian Zietz, está cerca de 8.250 pontos para trás e nem sequer tem vaga garantida para o resto do circuito. Um título mundial poderá estar “nas cartas” para este ano mas caso não aconteça em 2016 é provável que não surja outra oportunidade.

Comentários