CT 2017 | Frederico Morais | New On Tour

publicado há 3 meses por 2

frederico-morais-new-on-tour

O circuito de qualificação já chegou ao fim e o Championship Tour da WSL de 2017 já tem alguns nomes novos confirmados. Fica a conhecer os novos surfistas do mais importante circuito de surf do mundo!

Nome: Frederico Morais
Idade: 24
Local: Cascais, Portugal
Patrocínios: Billabong, MOCHE, Monster Energy, VonZipper, Ericeira Surf & Skate

Resultados em 2016: 2º lugar Vans World Cup (QS 10.000), 2º lugar Hawaiian Pro (QS 10.000), 1º lugar Martinique Surf Pro (QS 3.000), 5º lugar Hang Loose Pro Contest (QS 6.000), 5º lugar Essentitial Costa Rica Open (QS 6.000)

Achava-se que Frederico Morais poderia entrar no CT com um excelente resultado mas não. Kikas ficou em segundo lugar por muito pouco em Haleiwa e isso foi apenas a primeira parte do seu trabalho. De facto, mesmo quando estava nos quartos de final em Sunset não estava com o seu lugar garantido. Isso só fez com que tivesse ainda mais mérito, entrando no Championship Tour em terceiro no ranking e pela porta da frente!

O português já tinha ameçado várias vezes a qualificação mas faltou sempre a consistência e nunca ficou realmente perto. Mesmo com uma vitória numa etapa 3.000 pontos, 2016 parecia ser mais um ano morno, até que entrou no modo “giant killer” e fez dois 2ºs lugares nas etapas mais difíceis do ano, Haleiwa e Sunset.

O que se deve esperar em 2017?

Teoricamente Morais deveria estar à vontade em point breaks de direita como Snapper, Bells e Jeffreys e ainda em localizações como Trestles, França e Portugal. Teahupoo e Fiji são etapas onde não tem experiência e depois há as etapas “quebra cabeças” (para quase todos os surfistas do tour), Margaret River, Brasil e Pipe, onde as condições muitas vezes mandam mais que o surf. Do seu lado tem uma equipa sólida, um bom seeding e um estilo de surf muito respeitado por adversários e juízes. Tem grande hipóteses de conseguir a qualificação pelo Championship Tour mas, depois de tanto trabalho para chegar à elite, não será má ideia competir nas etapas QS 10.000 e 6.000 para se garantir!

Probabilidade de ficar nos 22 primeiros do ranking de 2017: sólida

Comentários

  1. Pedro diz:

    Bom artigo!