O circuito mundial de surf existe desde os anos 70 mas foi em 1992 que pela primeira vez se criou um “grand slam”, uma divisão entre Championship Tour, circuito onde seria disputado o título mundial, e Qualyfing Series, divisão de acesso ao CT.

Fica com alguns factos sobre o Championship Tour ao longo dos anos:
– Inicialmente eram 44 os tops do CT (na altura WCT). Tiago Pires ainda se qualificou nessa época mas sobreviveu à transição para 32 e esteve no tour um total de 7 temporadas.

– Kelly Slater é o surfista mais antigo mas 2018 não será a sua 27º temporada. Entre os anos de 1999 e 2001 Slater esteve “reformado”, voltando mais tarde para aumentar o seu legado de 6 títulos mundiais para 11.

– Quando Kelly Slater disputava o seu primeiro título mundial, metade dos top32 para 2018 ainda não tinham nascido.

– Em 25 anos apenas 11 surfistas diferentes sagraram-se campeões mundiais, sendo que entre eles apenas 4 são goofy footers.

– Kelly Slater conta com o recorde em títulos mundiais, vitórias, anos no tour, notas 10 e prize money (4.071.360 USD). O prize money total que recebeu no seu primeiro ano é inferior ao que actualmente se recebe por vencer uma etapa.

– Apenas um membro do Championship Tour já faleceu. Andy Irons em 2010.

– O mais jovem surfista a ganhar uma etapa foi Gabriel Medina, quando venceu o Quiksilver Pro France de 2011, com 17 anos. O mais “idoso” a vencer uma etapa foi (CLARO) Kelly Slater, quando venceu o Billabong Pro Tahiti de 2016, aos 44 anos.

– A temporada mais curta da história do Championship Tour foi em 2001, ano em que algumas etapas foram canceladas devido aos atentados de 11 de Setembro, sendo reduzida para apenas 5 etapas. O campeão mundial desse ano, CJ Hobgood, que não venceu qualquer etapa nessa temporada.

– Até hoje 14 surfistas portugueses já participaram em etapas do Championship Tour mas apenas 2, Tiago Pires e Frederico Morais, fizeram parte (ou fazem, no caso de Morais) do Top32.

Comentários