Seja qual for a posição em que Bede Durbidge terminar o CT este ano, em 2018 o ex-Pipe Masters não irá competir mais na elite do surf mundial, apesar da sua retirada ofical, caso se requalifique, acontecer só depois da perna australiana do ano que vem. A principal razão que aponta para esta decisão é o facto de ir comandar a equipe australiana rumo aos Jogos Olimpicos (JO) em Tóquio no ano 2020.

Se algumas mentes mais “conspiracionais” poderão pensar que a sua retirada se deve ao facto do australiano não ter recuperado a 100% da grave lesão que sofreu no final de 2015 para conseguir voltar a mostrar o surf que o fez ser vice-campeão do mundo em 2008, a verdade é que o actual número 20 do ranking tem mostrado que o seu surf está on point como no passado, continuando o power surf a ser a sua grande arma!

 

Full power turn, o trademark de Bede. Photo bby WSL | Jack Barripp
Full power turn, o trademark de Bede. Photo bby WSL | Jack Barripp

 

Mas é inegável que Durbidge, terceiro do mundo em 2009 e quinto em 2007, está há mais de 10 anos na elite e começa já a ser um daqueles surfistas que faz parte de uma geração que está praticamente toda renovada pelos novos nomes do momento. Ainda mais nessa posição que Bede, e sem contar com Slater que é o surfista mais velho do tour mas que provavelmente ainda apanhará mais umas quantas gerações no CT, Parkinson e Fanning são os últimos “dinossauros” na elite, apesar do seu surf nada ter de pré-histórico pois continuam a discutir títulos mundias!

De relembrar ainda que antes da lesão que deixou Bede afastado todo o tour em 2016, o australiano tinha feito dois segundos lugares nesse ano, um no Brasil e outro em França, e que a sua última vitória num CT aconteceu em 2008 no Brasil.

Mas pelos vistos está mesmo na altura de virar a página e abraçar um novo caminho, e este passará, como dissemos, por liderar a equipe australiana rumo aos JO em 2020, equipa essa que será já anunciada no início do ano que vem, com Bede nos comandos.

Enquanto ainda esperamos este tipo de novidades pelo nosso país, convém relembrar que apesar de faltarem cerca de dois anos, os JO estão mesmo à porta e a grande questão que se prende neste momento é quem será o primeiro campeão Olimpico / primeiro país campeão Olimpico de surf do mundo? Aceitam-se palpites!

Comentários

Deixe uma resposta