As escolhas do staff para o Drug Aware Margaret River Pro | CT#02

publicado há 2 meses por 0

Drug-Aware-Margaret-Pro-2017-OF-Picks

Estamos a horas de começar a segunda etapa do Championship Tour 2017, desta vez em Margaret River, e Frederico Morais deverá, novamente, ser uma escolha para o teu Fantasy!

Depois de um bom arranque por parte de Morais na primeira etapa do CT 2017, os melhores do mundo já se encontram em Margaret River para surfar o famoso pico triangular que aguenta ondulações sérias, sendo que se estas forem sérias demais, leia-se grandes, a alternativa é o famoso slab The Box!

E como se isto já não dificultasse a tua escolha, há ainda mais um importante facto a ter em conta: para o primeiro dia espera-se um swell sólido o suficiente para um dos mais famosos spots desta zona funcionar, o North Point. Se o nome não te diz muito, quando vires o vídeo abaixo vais-te lembrar imediatamente que onda é esta… Uma direita com um drop buracoso que se transforma num tubo perfeito e que no inside tem a secção perfeita para a maior manobra power ou o maior aéreo que já viste!…

Isto significa que a escolha do teu team do Fantasy Surfing da WSL para esta etapa – e que te poderá levar a vencer não só o staff da ONFIRE como vários surfistas profissionais, nomes conhecidos da indústria e muitos fiéis seguidores da OF – deverá ser feita tendo em conta todas estas variáveis…

Como, supostamente, percebemos muito do assunto surf, para te ajudarmos com a escolha oferecemos aqui os nossos palpites. Em cada categoria juntamos ainda um Dark Horse, que será um surfista que teoricamente é uma aposta mais arriscada, mas que ao mesmo tempo tem muito potencial de tirar um resultado excelente.

Nível A
John John Florence | Tube rider exímio, power surfer natural e um dos mais vanguardistas surfistas do momento! É difícil não escolher JJF para qualquer etapa do tour e esta não é excepção. Se o arranque for em North Point, JJF deverá elevar o nível, se passar para The Box está mais uma vez em casa, e, no pico principal, aplicará o power surf para vencer os seus heats e, muito provavelmente, garantir umas meias finais no mínimo! De relembrar ainda que em 2015, JJF ficou em segundo lugar!

Joel Parkinson | O veterano do tour tem horas incontáveis de surf em qualquer parte da Austrália. Poderá não ter o seu jogo aéreo tão moderno como o de JJF ou Toledo, mas a sua curva de rail e power são quase incomparáveis. Com toda a certeza procura terminar o seu fim de carreira com umas vitórias e um título mundial, e em ondas poderosas e tubulares é sempre uma escolha certa!

Dark Horse
Gabriel Medina | Medina está no mesmo estação de JJF, ou seja, é difícil não escolhê-lo para o teu team. Consideramos um Dark Horse pois, como todos sabemos, competiu na etapa passada com uma lesão no joelho. Qualquer outro surfista nesta condição nem estaria no nosso team mas como bem te lembras, o ex-campeão do mundo chegou às meias-finais lesionado. Com umas semanas para recuperar de uma lesão que apenas necessitava descanso, Medina deverá estar 95% preparado para esta etapa e isso só por si já é assustador para a concorrência!

 

Nível B
Jordy Smith | Apesar de não ter tido um resultado muito expressivo na primeira etapa, e tendo em conta as previsões, o sul-africano tem tudo para alcançar um resultado de excelência em Margaret. North Point assentará que nem uma luva para Smith – basta reveres o vídeo no final da notícia -, e no pico principal usará o seu power para brilhar. Neste último ano, Smith parece ter acordado e mostrado o surf que há uns anos fez o mundo inteiro apontá-lo como um futuro campeão mundial, e este poderá muito bem ser o seu ano!

Frederico Morais | Esta poderá ser uma escolha arriscada para muitos mas para nós é óbvia. Morais demonstrou na primeira etapa que está mais do que preparado para se bater com os melhores do mundo e quando se fala de direitas em cima de fundos de rocha ainda mais a escolha recai sobre o único português na elite do surf mundial. Paredes perfeitas para power surf, tubos à moda dos Coxos e afins e, na eventualidade do North Point receber a elite daqui a umas horas, uma secção perfeita para Morais mostrar o seu jogo aéreo ao mundo… Tudo isto são ingredientes que se juntam à determinação incomparável do português e que o tornam uma escolha obrigatória!

Sebastian Zietz | Zietz vibra com ondas power e é nesse mar que o seu surf sobressai. Esta etapa tem ondas poderosas escrito por todo o lado, e a isso adicionamos os slabs tubulares! E desta forma, Zietz, vencedor em Margaret no ano passado, é o perfeito candidato a garantir, no mínimo, uns quartos de final.

Julian Wilson | Outro australiano com incontáveis horas em Margaret. Outro surfista exímio em tubos, surf performance e power. Um surfista que provavelmente sentirá a necessidade urgente de conseguir um título mundial afinal não quererá ficar atrás de Medina e Florence. Ultimamente tem andado um pouco debaixo do grande foco e isso só o torna ainda mais perigoso pois, quando o mundo se aperceber, Wilson estará a levantar o caneco, e Margaret é o palco ideal para este episódio…

Dark Horse
Adriano de Souza | O brasileiro venceu em Margaret em 2015, derrotando JJF para tal, mas parece atravessar um período menos positivo na sua carreira. No entanto todos conhecemos a raça de De Souza, o que significa que a qualquer momento poderá voltar à vitória. É por ambas estas razões que colocamos Adriano de Souza com um Dark Horse para o nível B.

 

Nível C
Filipe Toledo | A sua eliminação precoce na primeira etapa do CT2017 é um daqueles momentos que servem para nos relembra que somos todos falíveis. Sem dúvida um resultado altamente inesperado, mas mais inesperado que isso seria o fenómeno brasileiro tirar dois maus resultados seguidos! Slabs tubulares poderão não ser a refeição preferida de Toledo, mas secções para voar e longas paredes para combinações explosivas de manobras já são outra conversa. A sua presença neste nível C deve ser encarada com um bónus para conseguirmos garantir que um surfista neste nível C garanta os pontos fundamentais para um resultado de excelência neste Fantasy.

Leonardo Fioravanti | Outro rookie no tour, a par de Frederico Morais. O grande Fioravanti esfrega as mãos quando as ondas têm força, e com as previsões que lá vêm, o italiano deverá estar a correr de um lado para o outro à espera do seu heat. Acreditamos que Fioravanti e Morais irão disputar o título de Rookie of the Year e isso significa que ambos terão de fazer grandes resultados, o que consequentemente o coloca na nossa escolha pois Margaret encaixa que nem uma luva neste surfista!

Dark Horse
Josh Kerr | Mais uma escolha de um surfista que não deverá ter muito mais tempo no tour, muito provavelmente por escolha própria e não por não requalificação para o CT. Este veterano continua no entanto a ser um dos melhores tube riders do mundo, principalmente quando se fala de slabs, e o seu jogo aéreo continua a puxar os limites, ou não fosse Kerr o surfista que inventou o Kerrupt Flip. Power surf faz também parte do portfolio de mais um australiano que conta com anos e anos de experiência nestas ondas.

Podes fazer as tuas escolhas para o Drug Aware Margaret River Pro AQUI, juntar-te à Liga ONFIRE Surf 2017 (password: OF 2017) AQUI e assistir ao evento ao vivo AQUI!

(Jordy Smith em acção. O maior alley-oop deste vídeo é em… North POint!)

 

Comentários