6 surfistas que faleceram no auge das suas carreiras

publicado há 1 semana por 2

6-surfistas-profissionais-que-faleceram-no-seu-auge

Ao longo da história o surf profissional tem perdido alguns dos seus melhores e mais carismáticos nomes. A ONFIRE selecionou 6 surfistas que faleceram no auge das suas carreiras… RIP

Ricardo dos Santos – Janeiro de 2015

A morte de Ricardo dos Santos foi a mais recente, e talvez a mais chocante. Este surfista brasileiro, que apenas tinha 24 anos, era um dos free surfers mais mediáticos do mundo e estava no auge da sua carreira. Numa manhã de Janeiro Ricardo estava a fazer obras em sua casa quando foi envolvido numa discussão com um polícia militar fora de serviço que, sobre influências do álcool e drogas, o baleou. Ricardo acabou por falecer no dia seguinte, vitima dos seus ferimentos. O seu assassino foi recentemente sentenciado a 22 anos de prisão.

Andy Irons – Novembro de 2010

Nunca um campeão mundial da WSL tinha falecido, até Novembro de 2010, quando Andy Irons foi encontrado sem vida num quarto de hotel em Dallas, Texas. A morte deste ícone do surf mundial foi algo polémica pois, desde o início se pôs a possibilidade de estar relacionada com o consumo de drogas. Depois de algum jogo de cintura da sua família, na tentativa (bem sucedida) de manter vivo o seu legado, e de uma autópsia pouco relevante chegou-se à conclusão que AI se encontrava fisicamente debilitado e que a sua morte terá sido uma conjugação de diversos factores. Andy tinha 32 anos e faleceu semanas antes do nascimento do seu primeiro filho, Andy Axel Irons.

Todd Chesser – Fevereiro de 1997

Não sendo o único desta lista a falecer no mar, Todd foi a única vítima (desta lista) a falecer devido à força da natureza. Chesser fez o percurso típico de um surfista profissional na sua época. Começou por competir nos circuitos amadores até transitar para o Bud Tour, uma espécie nacional norte-americano muito mediático constituído por etapas QS de 1 e 2 estrelas por onde todos os grandes talentos daquele país passavam. Depois estabeleceu-se como free surfer e big wave rider no Havai. Numa surfada de ondas grandes num outter reef do North Shore com o seu amigo Cody Graham, Todd perdeu a consciência a tentar passar por um set enorme e eventualmente afogou-se. Tinha apenas 28 anos.

Mark Sainsbury – Agosto de 1992

Mark foi campeão mundial amador e era um dos mais prometedores surfistas da sua geração. Na altura dizia-se que o seu aneurisma cerebral, que causou a sua morte, se deveu a ter ido surfar muito pouco tempo depois de ter chegado de uma viagem de avião, mas pouco mais se sabe. “Sanga” tinha 26 anos.

Ronnie Burns – Agosto de 1990

Um dos mais reconhecidos “Pipe Surfers” dos anos 80 era Ronnie Burns. Dizia-se que as suas linhas em Pipeline eram únicas e rapidamente se tornou free surfer profissional. Como membro da equipa Billabong surfou pelo planeta fora e foi um dos grandes destaques de um dos maiores filmes da sua época, “Pump”. Como muitos outros surfistas de Oahu, Burns gostava de andar de mota em trilhos off road e sofreu um acidente aos 27 anos, acabando por falecer.

Tomás Saraiva Lobo – Início dos anos 90

Tomi, como era conhecido, era um dos mais carismáticos surfistas da sua geração. Apesar de ter tido algum sucesso a nível competitivo, era no free surf que mais se destacava, principalmente quando o mar subia. Tomi faleceu muito jovem vítima de um acidente de viação. A sua morte deixou o surf nacional de luto e a sua memória nunca foi esquecida. Um convívio de surf em sua honra é realizado na praia de onde era local, Carcavelos, até aos dias de hoje.

Comentários

  1. Ricardo Pereira diz:

    Porque não um dos mais falados, Malik Joyeux?

    • Ola Ricardo. Obrigado pela sugestão. Realmente Malik Joyeux também merecia ser mencionado, tal como Jay Mariority, Sion Miloski, Marko Foo e muitos outros. Possívelmente faremos uma segunda parte deste artigo no futuro.
      Cumprimentos,
      OF