Seria de esperar que todos os grandes surfistas conseguissem a alguma altura qualificar-se para o CT, mas nem sempre acontece. A ONFIRE seleccionou 5 surfista de quem se esperava a qualificação e, apesar de terem ficado perto, nunca conseguiram!

Binho Nunes | Brasil

Na segunda metade da década de 90 o Brasil teve vários competidores no Championship Tour mas três surfistas de uma nova geração prometiam chegar ainda mais longe. Os seus nomes eram Neco Padaratz, Renato Wanderley e Binho Nunes, três grandes talentos com progressivo e poderoso que tinham tudo para tomar o tour de assalto. Na época os surfistas brasileiros estavam muito longe de conseguir o mediatismo internacional que mereciam, mas uma produção de vídeo local (Cambito 3) captou o melhor deste grupo, um vídeo que ainda hoje estaria bastante actual a nível de performance. Neco foi quem teve mais sucesso, qualificou-se para o CT no fim de 1996 e fez um total de 11 temporadas enquanto que Renato conseguiu a qualificação mais cedo mas só ficou um ano. Já Binho, o mais estiloso dos 3, tirou bons resultados um pouco por todo o circuito e apesar de ter ficado perto da qualificação acabou por abandonar o circuito sem nunca ter feito parte da elite. Actualmente, quase 20 anos depois de começado a competir no QS, mantém-se como free surfer patrocinado e é sempre um dos destaques no line up onde quer que faça surf.

Eneko Acero | País Basco

Eneko Acero foi um dos primeiros grandes talentos do surf europeu e o primeiro a vencer uma prova do QS, o Pantin Surf Classic (o português Nuno Matta terminou em 9º lugar no mesmo evento). Durante vários anos o Basco acumulou títulos na Europa e resultados expressivos a nível mundial, algo inédito no surf europeu nessa época. Outro grande resultado na sua carreira foi o 4º lugar no O’Neill Buondi Pro de 1996, que foi realizado na Ericeira. Esta etapa de 5 estrelas (pontuação máxima na época) começou em Ribeira D’Ilhas e acabou em S. Julião, um pico pouco conhecido na altura. Acero veio a “varrer” heats desde os primeiros rounds e foi finalista juntamente com Chris Gallagher, Pat O’Connell e Mark Bannister. Com os pontos que ganhou nesta etapa Eneko ficou muito perto da qualificação e investiu mais alguns anos no tour, ficando por várias vezes perto da qualificação. Entretanto o inglês Russell Winter conseguiu a qualificação para o CT, sendo o primeiro Europeu a fazê-lo mas Acero mantêm até aos dias de hoje o estatuto de ícone do surf europeu.

Mais 2 grandes talentos que ficaram perto da qualificação para o CT brevemente em EXCLUSIVOS ONFIRE!

Comentários

Os comentários estão fechados.