Um surfista que queira ser bem sucedido como profissional precisa obrigatoriamente de bons patrocinadores mas, por vezes, as oportunidades desaparecem inesperadamente. Fica a conhecer 4 marcas que se retiraram do surf e deixaram os seus patrocinados “em maus lençóis”.

FOX

Conta a lenda que a FOX se interessou no surf através de Kalani Robb, que acabou por ser a primeira grande contratação no nosso desporto. Nos anos que se seguiram, apesar da parceria com Robb ter acabado mal, a marca foi construindo uma grande equipa que incluiu Bede Durbidge, Damien Hobgood, Chippa Wilson, Keanu Asing, Bruce Irons e na Europa Eneko Acero e Pedro Boonman, entre outros. Algures entre 2016 e 2017 os donos da marca decidiram que o surf não era um bom negócio para eles e voltaram a focar todos os seus recursos nas áreas que dominavam melhor e onde ainda hoje estão com uma presença sólida. Curiosamente o português Boonman foi o último surfista a contratado pela marca a ser despedido, já em 2018.

 

 

 

Oakley (surf wear)

A Oakley nunca desaparecerá totalmente do surf, continuando até aos dias a patrocinar grandes surfistas na parte de eyewear. Mas até há pouco tempo vestiu muitos dos melhores surfistas do mundo da cabeça aos pés. Desde os sul africanos David Weare e Royden Bryson, aos norte-americanos Damien Hobgood e Bobby Martinez, aos australianos Dean Morrison e Tom Whitaker, não esquecendo os havaianos Dustin Barca e Sebastian Zietz e claro, Danilo Costa, Jadson André, Miguel Pupo e Caio Ibelli, não esquecendo dois dos três campeões mundiais brasileiros da WSL, Adriano de Souza e Ítalo Ferreira, a equipa chegou a ser das mais fortes do Championship Tour durante vários anos. Até que o investimento na parte de surf wear caiu e consigo o team. Os últimos a cair foram Caio e Sebastian, apesar de se manterem como patrocinados de eyewear.

 

 

Analog

A Analog foi a marca que a Burton, um gigante na área da neve, criou para conquistar uma fatia do outrora muito apetecível mercado do surf. Aos poucos foi “roubando” patrocinados das maiores marcas de surf, nomes como Chippa Wilson, Nathan Fletcher, Koby Abberton, Benji Weatherly e Kamalei Alexander, entre muitos outros, e em Portugal contou com a presença de Paulo Almeida e Tomás Valente durante alguns anos. Mas tal como na FOX, a dada altura a direcção deixou de acreditar no surf e cortou o seu investimento, deixando todos os seus patrocinados à procura de outras marcas num mercado cada vez mais difícil.

 

 

Cult Industries

A marca australiana Cult Industries surgiu em 2006 pela mão de Doug Spong, um empresário que teve papéis de destaque entre os anos 70 e 90 em marcas como a Rip Curl e Billabong. Depois de vender a sua licença de produção acessórios de volta à Billabong, o australiano comprou um par de marcas pequenas e criou a Cult, que rapidamente passou a ser representada por todo o mundo. O destaque desta equipa era Mick Lowe, uma das grandes estrelas da Billabong, que chegou a liderar o Championship Tour em 2004 a representar o seu novo patrocinador, e outros aussies como Dayyan Neve, Kirk Flintoff e Jay Thompson. Apesar de estar “bem lançada”, a marca não sobreviveu à crise que se viveu a nível global a partir de 2008 e fechou as portas para sempre em 2009.

 

Comentários