Uma revolução nunca acontece por obra de um elemento isolado, é preciso um grupo sólido para causar um impacto duradouro. No surf as grandes mudanças de guarda acontecem entre gerações mas nem todas têm a capacidade de quebrar barreiras e moldar o desporto. Fica a conhecer três gerações que mudaram o surf profissional:

Geração Momentum
Escala – Mundial
Principais players – Kelly Slater, Rob Machado, Shane Dorian, Ross Williams, Taylor Knox e Kalani Robb, entre outros.
Época – Anos 90
Liderada por Kelly Slater, a geração Momentum veio arrasar a anterior tanto a nível competitivo como mediático. No início dos anos 90 uma geração envelhecida mas ultra competitiva que tinha dominado o tour na década anterior parecia estar preparada para continuar o seu reinado, até que em 1992 Slater conseguiu “roubar” o título mundial e mostrar a porta de saída aos veteranos. Em 1993 o título ficou do lado da velha geração mas seria o último e, com a entrada de surfistas como Rob Machado e outros da mesma geração, deu-se um switch e o surf moderno estabeleceu-se. O domínio mediático foi mais rápido e fácil já que os principais meios de comunicação da altura, as revistas, imediatamente começaram a criar espaço para este movimento. Também nas produções de vídeo, que na época tinham uma expressão mais relevante que na actualidade, esta geração passou a dominar ao aparecer em destaque nos filmes de Taylor Steele, cujo primeiro grande filme deu nome à geração, mas também de outros produtores da época que contribuíram para difundir este estilo de surf.

 

 

EuroForce
Escala – Europeia e mundial
Principais players – Miky Picon, Tiago Pires, Patrick Beven, Eric Rebiere, Jeremy Flores, entre outros.
Época – Década de 00
Durante os anos 90 os surfistas europeus começavam a ganhar expressão a nível mundial com surfistas como Russell Winter, que entrou no Championship Tour, e Eneko Acero, que venceu a primeira prova QS, e mais alguns casos pontuais. No fim dessa década este grupo começou a “encostar-se” aos melhores juniores do mundo e quando atacaram o circuito QS a tempo inteiro já estavam equiparados aos surfistas de qualquer uma das grandes potências do surf mundial. Entretanto o grupo foi fortalecido por surfistas como Aritz Aranburu, Michel Bourez, Marlon Lipke, Tim Boal, continuando o push por alguns anos, transformando a Europa numa potência do surf mundial.

 

 

Geração de Ouro
Escala – Nacional (Portugal)
Principais players – João Alexandre “Dapin”, João Antunes, Rodrigo Herédia, José Gregorio, Bruno “Bubas” Charneca, Marcos Anastácio, Nuno Matta, José Gregório, Paulo do Bairro, José Couto “Pirujunho”, Mica Lourenço, Bruno Rodrigues, Hugo Zagalo e Jó Bento, entre muitos outros.
Época – Anos 90
Esta geração de surfistas surgiu “faminta” por sucesso, evolução e algo que até aí não existia no nosso país, carreiras como surfistas profissionais. Vários factores fizeram com que esse sonho se tenha tornado realidade, um circuito nacional bem organizado e com bom prize money, um circuito Europeu muito competitivo mas também com boas recompensas financeiras, e muita visibilidade em meios de comunicação como a televisão, através do Portugal Radical e Sem Limites, e revistas da época. O surf cresceu muito nessa época, o que fez com que as principais marcas começassem a capitalizar nesta nova tendência do mercado e a pagar ordenados aos principais nomes do surf português. Foi uma época de grande crescimento que abriu o caminho para que as gerações seguintes conseguissem atingir patamares mais altos.

 

Comentários

Os comentários estão fechados.