Três anos depois do circuito português de surf se ter tornado profissional, um tour bem organizado e com prize money que décadas mais tarde daria origem ao que é actualmente a Liga MEO Surf, foi acrescentada a categoria feminina.

Nos anos 90 o surf feminino ainda dava os primeiros passos, com poucas dezenas de praticantes de norte a sul do país, mas de imediato se tornou uma categoria muito competitiva, uma tendência que continua a crescer até à actualidade.

Fica a conhecer as diferentes eras do surf feminino que geraram 10 campeãs nacionais em 26 anos…

1995 – Patrícia Lopes
1996 – Teresa Abraços
1997 – Patrícia Lopes
1998 – Patrícia Lopes
1999 – Patrícia Lopes
2000 – Patrícia Lopes
2001 – Patrícia Lopes
2002 – Patrícia Lopes
2003 – Patrícia Lopes
2004 – Patrícia Lopes
2005 – Patrícia Lopes
2006 – Patrícia Lopes

Entre 1995 e 2006 Patrícia Lopes dominou o circuito, encontrando pouca oposição na maior parte dos seus títulos. A sua primeira grande adversária foi Teresa Abraços que, apesar de mostrar talento para fazer frente a Lopes, garantindo inclusivamente o título de 96, não se podia comparar com Patrícia a nível de drive competitivo e vontade de ganhar, reformando-se do circuito logo em 1998. Patrícia durante mais de uma década correu o circuito mundial, tendo terminado uma vez no top16 e foi uma sólida representante do surf nacional em provas ISA a nível mundial e Europeu. Outras adversárias que lhe fizeram frente foram surfistas como Filipa Leandro e Vera Gonçalves, e, mais tarde, Joana Andrade e Joana Rocha. Em 2007 acabou por se reformar, tendo perdido o título pela primeira vez desde 1997 mas, caso não o tivesse feito, poderia perfeitamente ter conquistado mais um ou dois.

2007 – Francisca Santos
2008 – Carina Duarte
2009 – Joana Rocha
2010 – Francisca Santos
2011 – Maria Abecassis
2012 – Maria Abecassis
2013 – Carina Duarte

Uma nova geração tomou controle do circuito assim que Patrícia saiu, começando com Francisca Santos que venceu o seu primeiro ainda com a veterana presente. Seguiram-se de Carina Duarte e Maria Abecassis, que, em conjunto com Francisca, conquistavam 6 dos 7 títulos seguintes. Pelo meio Joana Rocha, uma das mais duras adversárias que Patrícia tinha encontrado durante o seu “reino”, conquistou também um título, em 2009. Esta fase chegou ao fim em 2013, com o segundo título de Carina Duarte, o último antes de uma geração ainda mais nova passar a dominar.

2014 – Teresa Bonvalot
2015 – Teresa Bonvalot
2016 – Carolina Mendes
2017 – Carolina Mendes
2018 – Camilla Kemp
2019 – Yolanda Hopkins
2020 – Teresa Bonvalot

Depois de ter ficado perto de conquistar o título nacional em 2013, sendo superada na última etapa por Carina, Teresa Bonvalot sagrou-se campeã no ano seguinte com apenas 14 anos de idade. Esperava-se um domínio maior nos anos que se seguiram mas, além de se ter focado em outros circuitos, encontrou forte oposição em surfistas como Carolina Mendes, Camilla Kemp e Yolanda Hopkins, todas elas atletas dedicadas também ao circuito mundial e que em conjunto elevaram o surf feminino a um patamar onde nunca esteve antes. Bonvalot conquistou em 2020 o seu terceiro título, tornando-se na surfista com mais títulos depois de Patrícia Lopes, mas uma nova geração já se mostra pronta para se enquadrar nesta lista.

Descobre quem foram os campeões nacionais na categoria masculina AQUI!

Comentários