Como programado, a equipa Europeia seria a primeira a competir no segundo dia do Founders’ Cup of Surfing presented by Michelob ULTRA Pure Gold. Esta “selecção”, que tinha Frederico Morais como membro, tinha bastante “terreno” para recuperar se quisesse ficar na disputa e, no início do dia, a precisava de melhorar as suas notas num total de 3.24 pontos para entrar no top3 e chegar à finalíssima.

Era uma tarefa difícil e, mesmo que tivessem conseguido preencher o requisito, a fasquia não tardava a aumentar. Primeiro na água estiveram Leonardo Fioravanti e Jeremy Flores que já tinham notas altas a contar e apenas o italiano melhorou, ligeiramente, a média. Frederico Morais caiu na esquerda e surfou bem a direita mas aparentemente não teve fundo o suficiente no tubo e falhou a última manobra, melhorando a sua melhor nota da direita por menos de 0.10 pontos. Johanne Defay também melhorou a sua média mas, de um modo geral, a Europa ficou bastante abaixo das outras equipas e foi eliminada.

De seguida entrou a equipa brasileira que, apesar de se encontrar temporariamente em 5º lugar, não tardou a disparar a caminho do topo, passando para segundo lugar com uma diferença mínima para o líder, os EUA. No fim da 3ª run, a Austrália e o World Team estava empatados, o que deu origem a um origem a um surf off, vencido pelo “Mundo”.

A final foi muito disputada, apenas uma onda contava para a vitória final mas Gabriel Medina abriu (ou despediu-se do evento) com duas ondas de 9 pontos, vencendo o heat com Michel Bourez em segundo e John John Florence em terceiro. Lakey Peterson deixou as coisas equilibradas no heat seguinte, vencendo e deixando Bianca Buitendag em segundo e Taina Hinkel em terceiro.

Kanoa Igarashi fez mais uma onda incrível e conseguiu a vitória par ao World Team, deixando Adriano de Souza em segundo e Kolohe Andino em terceiro. Os heats 4 e 5 valiam mais pontos e Silvana Lima voltou a capitalizar para a equipa brasileira, deixando Carissa Moore em segundo e Paige Hareb em terceiro.

Muito estava em aberto no último heat, mas esperava-se que o único surfista a fazer uma nota 10 na prova, Filipe Toledo, dominasse o heat e levasse o Brasil ao título. Mas Jordy Smith tinha outros planos e na sua direita foi simplesmente fenomenal, colocando a fasquia em 9.27 para a vitória. Toledo surfou de seguida e arriscou muito no início da sua direita, não sendo recompensado e tendo como sua melhor nota um 7.33, surfado na esquerda. Quando Kelly Slater entrou na água de seguida havia 3 cenários possível e dois beneficiavam a equipa brasileira. Se o 11x campeão do mundo vencesse o heat, os EUA e o Brasil empatavam e haveria um surf off para decidir a nação campeã. Se Kelly ficasse em 3º lugar, a World Team e o Brasil empatavam e também haveria um surf off. Se Slater ficasse em segundo, a selecção “Mundo” seria a vencedora.

A esquerda de Kelly fo bem surfada mas só lhe dava o segundo lugar, 8 pontos. Na direita o fundador desta piscina surfou a onda na perfeição mas quando saiu do tubo final tentou um alley oop e falhou, acabando com 9 pontos, 0.27 abaixo do que precisava. Com isso a equipa de que menos esperava, a World Team, constituída por Michel Bourez, Jordy Smith, Kanoa Igarashi, Paige Hareb e Bianca Buitendag, venceu esta histórica prova.

Contas feitas o Founders’ Cup of Surfing presented by Michelob ULTRA Pure Gold foi um enorme sucesso, com emoção, competitividade e muito bom surf do início ao fim. O futuro promete…

 

Comentários