WCT 2014 | Mitch Crews | New on Tour

publicado há 3 anos por 0

WCT-2014-MITCH-CREWS-NOT

Os novos (ou regressados) surfistas do World Championship Tour de 2014 em análise, Mitch Crews #27.

Nome: Mitch Crews
Idade: 23
Local: Currumbin
Patrocínios: Hurley, Rockstar, Electric, SkullCandy, Macbeth, Vestal, FCS/Gorilla, Stacey Surfboards

Pode parecer uma estranha comparação mas Mitch Crews é uma especie versão australiana do havaiano Sebastian Zietz. Ambos têm um talento fora de série mas as suas hipóteses de se qualificarem para o WCT eram bastante duvidosas. Uma vez lá é improvável que venham a disputar um título mundial mas são perigosíssimos “dark horses”, podendo derrota qualquer surfista sempre que as condições os favorecerem.

Na Austrália Mitch era regularmente comparado a Jack Freestone, o bicampeão mundial júnior e uma das grandes esperanças do “down under”. Os dois viajavam juntos com regularidade e Jack sempre mostrou muito mais potencial, ofuscando a certa medida o seu amigo. Mas em 2013 os seus percursos seguiram caminhos distintos e enquanto que Freestone nem conseguiu ficar entre os 100 primeiros do WQS, Crews qualificou-se com distinção.

No WQS Mitch foi fenomenal fazendo várias finais e conseguindo uma vitória no Japão. Nada mau para um surfista que em 2009 foi informado pelo seu médico que teria de deixar de surfar devido à sua “espondilite anquilosante”, uma doença inflamatória crónica que afecta as articulações da coluna. Crews não aceitou esse destino, trabalhou duro para conseguir continuar a surfar e o resultado está à vista.

O seu surf é bastante completo, destacando-se pelos seus snaps poderosos e radicais e altíssimos aéreos. Em Dezembro recebeu uma vaga para o Pipeline Masters e mostrou que também é bom nos tubos. O seu ponto mais fraco é o surf de backside, mas nada que uns meses de WCT não resolvam.

O que se deve esperar em 2014?

Mitch é o “dark horse” do ano e na (quase) falta de concorrência é quase certo que se sagre rookie do ano. A primeira etapa favorece-o e o seu seeding é bom. É possível que arranque muito bem no circuito e tem tudo para garantir uma boa posição no final do ano.

Comentários