A prova com nível competitivo mais elevado da história dos ISA World Surfing Games fez justiça ao seu estatuto, com direito a surfistas do top10 do Championship Tour a serem eliminados permanentemente da prova tão cedo como o round 2 da fase de repescagem.

As ondas estavam perfeitinhas, mas muito pequenas e inconsistentes, o que se acabou por ser “fatal” para muitos dos melhores surfistas em prova. Que o diga Vasco Ribeiro, que abriu bem o seu heat contra Ryan Callinan, Leandro Usuna e Lucca Mesinas, com uma esquerda bem surfada, mas optou por esperar muito por outra onda com potencial, uma aposta que lhe custou o heat. Ribeiro finalmente usou a sua prioridade numa onda que lhe pareceu boa, mas não era, voltando à estaca zero a precisar de uma segunda nota cada vez maior. Nos segundos finais precisava de pouco mais de 7 pontos e surfou bem a sua última, acabando com o seu aéreo reverse marca registada, mas a onda era muito pequena e os juízes não o compensaram com a nota que precisava.

Frederico Morais fez um heat muito forte tacticamente, surfando poucas ondas mas segurando bem a sua posição com algumas direitas bem surfadas. No fim fez a sua melhor, uma direita cheia de carves e uma batida a soltar as quilhas, acabando na primeira posição com Billy Stairmand na segunda e com Conner Coffin e Cristobal de Col a caírem para a repescagem.

Horas depois foi a vez de Miguel Blanco surfar pela segunda vez nesta prova e, mais uma vez, passar a sua bateria. Miguel tinha como adversários Shun Murakami, Gony Zubizarreta e John Mark Tokong e desta vez foi Goni, um grande amigo e rival da Liga MEO Surf, quem ficou fora do main event, caindo para a repescagem juntamente com Tokong, das Filipinas.

Realizou-se ainda o round 2 da repescagem, uma fase que despachou muitos dos grandes nomes da prova. Jordy Smith, Michel Bourez, Jeremy Flores e Michael February já se encontravam por aí mas foram bem sucedidos, passando para o round 3 de repescagem, mas Julian Wilson e Owen Wright, dois favoritos ao título, foram eliminados. Infelizmente também Vasco Ribeiro foi pelo mesmo caminho, num heat muito equilibrado contra Dylan Southworth e Oney Anwar. No final Ribeiro precisava de 4.88 para passar mas apenas recebeu 4.77 e teve que se despedir da prova.

A equipa portuguesa encontra-se agora em 18º lugar do ranking, mas tem potencial de ainda subir muito enquanto que o Brasil lidera, seguido do Peru e dos EUA.

Acompanha a evolução desta prova em directo AQUI!

 

 

Comentários