Poucas horas depois de Frederico Morais ter avançado para o round 4 do Azores Airlines Pro, prova QS 6.000 a contar para o ranking de qualificação da WSL, foi a vez de outro português mostrar o que vale.

Vasco Ribeiro estava no 11 do round 3 contra Michael February, Evan Geiselman e Te Kehukehu Butler, três surfistas que acabariam a bateria a precisar de uma combinação para roubar a posição do português. Isto porque na sua segunda onda, uma esquerda a rondar os dois metros e meio, Vasco encaixou três manobras muito fortes, um snap bem no outside, um carve na zona mais crítica e uma finalização numa secção pesada para receber uma onda de 9.50, a melhor da prova até agora. Com um back up de 6.9 ficou com as duas melhores notas da bateria, deixando February em segundo, Geiselman em terceiro e Te Kehukehu em quarto.

Pouco depois Frederico Morais estava na água, onde competiu contra Beyrick De Vries e Tristan Guilbaud. Kikas fez um heat muito consistente, com um par de notas entre os 5 e 6 pontos, mas no fim De Vries passou para o primeiro lugar, com Morais em segundo e Guilbaud eliminado em terceiro.

Entretanto Vasco Ribeiro competiu contra Luel Felipe e Connor O’Leary no heat 7 deste quarto round. Os três fizeram notas excelentes, Luel 8.17 e 8.87, Vasco 8.13 e Connor 9.20. Felizmente para o português, O’Leary, o ex-rookie do ano no Championship Tour, fez a sua nota tarde no heat, e tinha um back up mais fraco, enquanto que Vasco tinha uma nota de 6.33 a contar, deixando o australiano fora do evento e garantindo assim uma vaga nos oitavos de final man-on-man.

Por estarem em lados opostos da grelha, Frederico e Vasco poderão encontrar na final do evento se continuarem a avançar, apenas precisando de vencer mais 3 baterias cada.

Acompanha a evolução do Azores Airlines Pro em directo AQUI!

Heats com portugueses
Round 5
Heat 2 | Frederico Morais x Jackson Baker
Heat 8 | Vasco Ribeiro x Miguel Pupo

Comentários