Terminou hoje a terceira etapa da Liga MEO Surf, o Renault Porto Pro, realizada na Praia de Matosinhos. Com o “avanço” do dia anterior, em que se realizaram três fases, a organização ficou com possibilidade de terminar a prova logo no segundo dia, e foi o que fez!

A prova feminina avançou até ao round 3 sem grandes surpresas mas aí tudo mudou. Na primeira bateria Carol Henrique teve mais uma prestação dominante e mostrando potencial para vencer uma etapa pela primeira vez este ano, avançou para a fase man-on-man com Yolanda Hopkins em segundo lugar. Na bateria seguinte a líder do ranking Pro Junior Europeu, Mafalda Lopes, provou que os resultados recentes não foram uma coincidência e com a melhor nota do heat, um 7.75 pontos, venceu a bateria. O segundo lugar foi muito disputado entre Camilla Kemp, Teresa Bonvalot e Mariana Assis que ficaram separadas por apenas 0.3 pontos, tendo Kemp saído com a vaga nas meias finais.

Curiosamente as vencedoras do round 3 foram surpreendidas pelas segundas classificadas e à final avançaram Yolanda Hopkins e Camilla Kemp. E foi Yolanda, que fez a terceira final consecutiva, quem venceu novamente, com notas 7 e 8.25 pontos, deixando a surfista do Guincho a precisar de uma nota de 9.85 pontos. A sua vitória garante-lhe uma vantagem sólida na liderança do ranking, o que a coloca numa excelente posição para disputar o título nacional de 2019.

Na categoria masculina, que já se encontrava nos quartos de final man-on-man, o dia começou com um grande confronto entre Marlon Lipke e Eduardo Fernandes, que acabou com a vantagem para “Edu”. Uma das maiores surpresas de toda a prova foi a vitória de Francisco Almeida sobre o líder do ranking, Miguel Blanco e, logo de seguida o local João Guedes superou mais um representante da nova geração, João Moreira. Para terminar a fase Tomás Fernandes fez duas ondas muito fortes no fim da sua bateria, para eliminar Francisco Alves, que tinha surfado muito ao longo da prova.

Tanto Eduardo Fernandes como Tomás Fernandes venceram as suas baterias das meias finais com alguma vantagem para se defrontarem pela primeira vez numa final. Ambos procuravam a terceira vitória das suas carreiras na Liga e no fim menos de meio ponto os separava. Foi Eduardo quem começou melhor, com uma nota de 6 pontos cedo no heat. Tomás respondeu com uma onda de duas manobras mas que lhe rendeu 5 pontos e pouco mais tarde encaixou várias manobras fortes numa direita para passar para a frente com uma nota de 5.8. Eduardo poderia ter virado o resultado caso o set que entrou quando tinha prioridade tivesse quebrado mais “dentro” mas acabou o tempo antes de apanhar outra onda boa. Pela vitória, a sua segunda do ano, Tomás Fernandes recupera a liderança e coloca-se numa boa posição para disputar o título.

A próxima etapa será o Allianz Algarve Pro, que se realiza em Aljezur entre 21 e 23 de Junho.

 

Comentários