Tomás Fernandes segue sozinho em Boomerang Beach

publicado há 3 meses por 1

Tomás Fernandes num bottom preciso e perfeito para se transformar numa explosão de água e garantir presença no round 5 de mais um QS1000.
Tomás Fernandes num bottom preciso e perfeito para se transformar numa explosão de água e garantir presença no round 5 de mais um QS1000.

É em Boomerang Beach que decorre o terceiro QS com forte presença nacional! A armada portuguesa já se estreou mas apenas Tomás Fernandes se mantém em prova!

Mais uma vez assistimos a Pedro Coelho, no heat 1 do round 3, a abrir as hostilidades da armada nacional na Austrália. Coelho tinha pela frente Noah Kearney, Brce Mackie e Noah Cooney. Foi um heat renhido pela disputa do segundo lugar entre o português e Mackie mas foi este último quem acabou por levar a melhor pois Coelho não conseguiu melhorar o seu 3.75, terminando o heat a necessitar de uma onda de 6.41, ou seja, sensivelmente igual à sua melhor, um 6.5.

Um heat mais tarde e foi a vez do jovem Luís Perloiro. Este heat foi, em termos de disputa, muito semelhante ao de Coelho mas com resultados diferentes. Perloiro tinha como melhor score um 4.60 até que na sua última onda largou uma bomba de manobras e conseguiu um sólido 7.40, e com este a garantia do segundo lugar e a qualificação para o round seguinte, avançando pela primeira vez nos QS australianos neste temporada!

O último português neste round era Jácome Correia. Infelizmente o português acabou por não conseguir mostrar todo o seu potencial e acabou o heat na quarta posição, atrás de Ryland Rubens, Jackson Giles e Josh Hay, 1º, 2º e 3º classificados.

Tomás Fernandes mostrou-se muito confiante e avançou sólido para o round 5.

Tomás Fernandes mostrou-se muito confiante e avançou sólido para o round 5.

Em prova tínhamos então Luís Perloiro, que se juntava assim a Tomás Fernandes no round 4. O primeiro dois dois a entrar foi o surfista da Ericeira e, tal como na etapa anterior, Fernandes foi poderoso no seu heat de estreia, encaixando duas sólidas notas na casa dos 7 pontos (um 7.00 e um 7.40), disparando na liderança do heat, deixando para trás Bruce Mackie, Mateus Herdy e Chris Michalak, e garantindo assim a presença no round 5.

Luís Perloiro conseguiu a segunda melhor nota no seu heat do round 4 mas ficou a necessitar de uma nota magra para avançar, neste que foi um dos mais renhidos heats do dia. Photo by WSL / Bennett

Luís Perloiro conseguiu a segunda melhor nota no seu heat do round 4 mas ficou a necessitar de uma nota magra para avançar, neste que foi um dos mais renhidos heats do dia. Photo by WSL / Bennett

Não passou muito tempo para Perloiro entrar na água, e foi no heat 4 que batalhou contra Timothe Bisso, Riley Lang e Saxon Lumsden. E este heat não poderia ter contrastado mais com o de Fernandes. Perloiro, que garantiu a segunda melhor nota dos quatro, um 7.15, ficou a necessitar de um magro 4.35 para garantir que avançava mais uma fase mas infelizmente não conseguiu melhor que um 3.05. Os resultados finais deste heat reflectem bem o quanto o QS é renhido, 11.60 para Bisso, 11.50 para Lanfg, 11.00 para Lumsden e 10.20 para o português, e desta vez a sorte não favoreceu as cores de Perloiro.

Tomás Fernandes é então o único português no Komunity Project Great Lakes Pro, QS1000, e esta noite deverá voltar a vestir a lycra para, no heat 1 do Round 5, defrontar Cole Houshmand, Thomas Cervi e Riley Laing.

Podes assistir à performance de Tomás carregando AQUI!

#gotomas

Parte da armada nacional estacionada em águas australianas, como Tomás Fernandes a liderar o grupo de ataque. Photo by WSL / Bennett

Parte da armada nacional estacionada em águas australianas, como Tomás Fernandes a liderar o grupo de ataque. Photo by WSL / Bennett

 

 

Comentários

  1. Pedro diz:

    Passou o round 5, em 2º, mas no rd6 não conseguiu melhor do que o 4º lugar. 13º lugar, traz 280pts e 200$ australianos, = 150$ americanos.