Faltam apenas duas semanas para a etapa decisiva da Liga MEO Surf 2019, a principal competição de surf em Portugal, que define os títulos de campeões nacionais em Portugal. À semelhança de anos anteriores, o título masculino vai ser decidido nas ondas cascalenses, com o surfista oriundo da Ericeira e o local Miguel Blanco como candidatos. No caso das senhoras, o título de campeã nacional da Liga MEO Surf 2019 já se encontra atribuído à algarvia Yolanda Sequeira.

Entre os dias 3 e 5 de Outubro, na Praia do Guincho ou em Carcavelos (dependendo das condições do mar), todas as atenções vão estar, por isso, colocadas sobre as prestações de Tomás Fernandes, atual líder do Santander ranking, e também Miguel Blanco, que tenta defender o estatuto de campeão nacional. Tomás parte na frente da luta e só depende dele próprio para ser campeão. Caso chegue à final desta etapa, o jovem surfista da Ericeira garante automaticamente o título. No entanto, Blanco tem a seu favor o “fator casa”, juntando a isso o facto de não só ser o campeão nacional como também o campeão da etapa em título.

Carlos Carreiras, Presidente da Câmara Municipal de Cascais
“Cascais continua a ser o palco das grandes decisões da liga MEO Surf. Dou as boas vindas a todos os surfistas ao concelho com mais tradição no surf e com as praias mais entusiastas do país. Boa sorte a todos e em especial ao “nosso” Miguel Blanco”.

Top 5 Ranking Santander masculino:
1 – Tomás Fernandes, 3360 pontos
2 – Miguel Blanco, 3200
3 – Marlon Lipke, 2520
4 – Vasco Ribeiro, 2490
5 – Eduardo Fernandes, 2420

Do lado feminino, as melhores surfistas nacionais também vão estar em ação. Embora Yolanda Sequeira já tenha garantido o título de forma antecipada, ainda há muita coisa em jogo no Santander ranking, com várias representantes da promissora nova geração, como a recém-coroada campeã europeia júnior da WSL, Mafalda Lopes, a tentarem assaltar os primeiros lugares do ranking.

Top 5 Ranking Santander feminino:
1 – Yolanda Sequeira, 4720 pontos
2 – Teresa Bonvalot, 3470
3 – Mafalda Lopes, 3050
4 – Matilde Passarinho, 3020
5 – Gabriela Dinis, 3005

Catarina Ferraz, Diretora de Marketing Bom Petisco
“É com muito orgulho que a Bom Petisco continua a dar nome à última e decisiva prova da principal competição de surf nacional. O surf português está mais dinâmico que nunca e nós estamos muito felizes por poder contribuir e acompanhar de perto a evolução desta modalidade. Desejamos boa sorte a todos os atletas que estão na luta pelo título de campeão nacional masculino e aproveitamos para felicitar a Yolanda Sequeira, campeã feminina, pelo primeiro título de carreira. Vemo-nos no Guincho!”

Além de ser uma etapa decisiva para as contas finais da Liga MEO Surf, esta é também uma paragem simbólica no circuito, uma vez que os melhores surfistas nacionais vão competir no concelho que é considerado o berço e, igualmente, um dos maiores embriões de talentos do surf nacional. Daqui já saíram nomes históricos do surf português, como os tetracampeões Ruben Gonzalez e Vasco Ribeiro ou a jovem bicampeã nacional Teresa Bonvalot, entre muitos outros talentosos surfistas.

Teresa Bonvalot, campeã nacional de 2014 e 2015
“Vai ser ótimo poder competir na praia onde cresci e aprendi a surfar. Competir na minha praia é sempre especial. O mais importante para mim é no final do campeonato sentir que dei o meu melhor e que me diverti a fazer o que mais gosto, que é surfar e competir. No entanto, vencer esta etapa seria sempre bom, especialmente porque não gosto de perder nem a feijões. A juntar a isso, o nível do surf feminino tem estado a crescer muito nos últimos anos, o que é ótimo de se ver. A Liga MEO Surf tem ajudado muito a esse crescimento, que todos poderão comprovar neste Bom Petisco Cascais Pro.”

Bom Petisco Cascais Pro 2018 em números:
– Campeões da etapa: Miguel Blanco e Yolanda Sequeira
– 1346 ondas surfadas;
– Melhor onda: 7,50 de Miguel Blanco na final;
– Melhor pontuação: 13,75 de Miguel Blanco na final.

Histórico de vencedores do Bom Petisco Cascais Pro:
2018: Miguel Blanco e Yolanda Sequeira
2017: Pedro Henrique e Camilla Kemp
2016: Gony Zubizarreta e Teresa Bonvalot
2015: Nic von Rupp e Carina Duarte
2014: Frederico Morais e Camilla Kemp

Em termos dos restantes troféus laterais, acrescem a luta pela melhor manobra na Renault Expression Session, pela Somersby Onda do Outro mundo, pela distinção dos melhores surfistas locais através do Cascais Best Surfer e os pontos desportivos para o Santander Award, que vai premiar os melhores surfistas/estudantes pré-universitários, sendo que público poderá ainda fazer as suas escolhas no Rip Curl Fantasy Surfer, que vai apurar vencedor da etapa e vencedor final.

Comentários