O primeiro dia de competição do Oakley Lowers Pro era bastante promissor, mas acabou por ser um pouco curto. Além disso ondas não passavam do meio metro sem vento, o que limitou ligeiramente as oportunidades aos competidores.

Logo no primeiro heat estava o ex-campeão mundial júnior que actualmente reside em Portugal, Pedro Henrique, contra Ian Crane, Thiago Camarão e Cory Arrambide. “Pedrinho” começou bem a bateria, com um bom aéreo numa esquerda, mas encontrou algumas dificuldades de posicionamento e foi ficando para trás. O outro brasileiro do heat, Camarão, dominou a bateria destruindo as direitas como se estivesse a surfar um metro. A grande disputa foi entre o local, Crane, e o outro norte-americano da bateria, Arrambide. Ian fez a melhor onda do heat, uma direita com 3 manobras sólidas, sendo que a terceira foi snap de backside no lip a soltar o tail. Logo a seguir Cory também surfou de backside uma direita e conseguiu a nota que precisava para avançar para a fase seguinte, por muito pouco. Crane não ficou nada satisfeito com a decisão dos juízes e tratou de, ainda na água, mandar uns “manguitos” na direcção do palanque, uma atitude que provavelmente se vai transformar numa valente multa para o surfista de San Clemente.

Na bateria seguinte o “alpha male” foi claramente Ezekiel Lau, um surfista que tinha tudo para já estar no WCT e não nos trials de um evento. O segundo lugar foi uma surpresa agradável, Nick Hdez, que surpreendeu Eric Geiselman e o havaiano Josh Moniz.

Lau começou a final em grande forma, com uma direita com fortes rasgadas, muito ao estilo de Andy Irons, e um aéreo reverse para terminar. Logo de seguida tentou e quase acertou um aéreo full rotation para reverse, e se tivesse completado a manobra provavelmente teria vencido esta