Depois de alguns dias sem acção, o Drug Aware Margaret River Pro voltou. A nova direcção da ondulação teoricamente iria melhorar o potencial das esquerdas, mas as direitas continuaram a ser onde os competidores conseguiram as melhores notas.

O campeonato começou com um heat bastante “morno”, em comparação com todos os outros que estavam pela frente e Bede Durbidge “bateu” com alguma vantagem Jordy Smith e Josh Kerr. Bede, apesar de já ter disputado o título mundial, parecia estar de saída do WCT, tendo passado os últimos anos a lutar para se manter no circuito. Mas nesta sua “off season” o grande australiano deve ter treinado muito e é nesta etapa “o” “dark horse”.

No heat seguinte Gabriel Medina provou que está preparado para praticamente todo o tipo de condições, e mesmo o forte offshore não conseguiu impedir o seu ritmo vencedor. Logo de seguida Slater também venceu o seu heat, mas foi um dos confrontos mais fracos do dia. Os seus adversários, Filipe Toledo e Michel Bourez, não conseguiram mudar o resultado nesta bateria em que a consistência venceu. Slater ainda não encontrou fazer o seu melhor surf nesta etapa mas já se garantiu nos quartos de final e de um momento para o outro pode “acordar”.

Na última bateria da fase Nat Young provou que o seu surf de backside está entre os melhores do mundo e com a sua técnica impecável, desenvolvida nos point breaks de Santa Cruz, derrotou Adriano de Souza e Joel Pakinson. Adriano ainda ameaçou virar o heat com duas ondas boas no fim, sendo que a última foi a esquerda mais longa do campeonato até agora, mas os júris pontuaram-no meio ponto abaixo do que precisava.

Entretanto o “comissário” da ASP, Kieren Perrow, tinha estado a testar as ondas de “The Box” e confirmou que estavam dignas de se passar a prova para lá. The Box é considerado por muitos como o “slab” original. Margaret sempre foi uma paragem “difícil” do tour, principalmente quando se perde cedo, mas as surfadas neste pico muitas vezes compensavam a longa viagem.

Inicialmente falou-se em terminar o campeonato por lá ou, no mínimo realizar os quartos de final, mas as ondas pioraram muito no último heat do round 5. De repente esta etapa, que tinha sido disputada sempre manobra a manobra, passou para ser disputada pelos tubos e nem todos os surfistas se adaptaram. Os três brasileiros em prova nesta fase, Pupo, Toledo e De Souza, acabaram por não se encontrar nestas condições perdendo para Jordy Smith, Joel Parkinson e Michel Bourez. Também o vencedor dos trials, Yadin Nicol, não conseguiu passar pois Josh Kerr provou ser um dos melhores tube riders do mundo, vencendo com facilidade.

Assim ficaram definidos os quartos de final, que poderão ser realizados ou no pico principal de Margaret River ou em The Box. O resultado final poderá variar muito consoante o local! Acompanha tudo em directo AQUI!

Comentários

Os comentários estão fechados.