Terminou hoje o Cabreiroá Pro Zarautz Basque Country, etapa de 1.500 pontos a contar para o ranking de qualificação masculino e feminino da WSL. Para este último dia, em ondas muito pequenas, estava ainda 8 surfistas em prova, 4 em cada categoria e entre eles estava uma portuguesa, Teresa Bonvalot.

A surfista de Cascais ficou à porta do Championship Tour em 2018 mas, apesar do seu sucesso, Teresa nunca conseguiu chegar à final de uma prova QS, algo que três outras portuguesas já conseguiram atingir. Depois de terminar em 3º lugar na prova da Costa da Caparica, Bonvalot era a favorita para vencer em Zarautz mas a falta de ondas prejudicou-a bastante. A sua adversária, Leticia Canales Bilbao, começou com uma onda boa, recebendo a nota de 5.67. Teresa respondeu com uma onda de 4.83 mas, quando perdeu a prioridade nos últimos 10 minutos, colocou-se numa situação complicada. Quando a recuperou mais nenhuma onda com potencial apareceu e, mesmo tendo trabalhado bem uma última direita, acabou eliminada da prova.

Na final Leticia encontrou uma inspirada Pauline Ado que, tal como Nat Young, estava de olho numa dobradinha depois de vencer o Caparica Surf Fest Pro powered by Oakley. E foi exactamente o que fez, com notas de 5.20 e 7.33 a francesa “facturou” a sexta vitória da sua carreira e subiu mais 16 lugares no ranking.

Na prova masculina de um lado da grelha estava surfistas que já tinham vencido no QS no passado e do outro estavam os que nunca tinham vencido. Entre os “vencedores” foi Maxime Huscenot quem foi bem sucedido, batendo o espanhol Ruben Vitória por combinação. Do outro lado a “batalha” foi mais equilibrada, com Vicente Romero a sair vencedor sobre Nomme Mignot.

O espanhol, com descendência brasileira, Vicente Romero, começou bem a final e quando pontuou 8.5 ganhou uma boa vantagem sobre Maxime. Um back up de 7.20 foi o suficiente para deixar Huscenot a precisar de uma nota muito alta e eventualmente vencer a prova!

 

Comentários