O dia 5 do Holmes Civil Developments Pro e Burton Automotive Pro teve as melhores ondas da prova até aí. Já perto das fases finais esta etapa de 6.000 pontos nas categorias masculina e feminina arrancou cedo e ao fim de poucas horas as portuguesas ainda em prova entravam na água.

Teresa Bonvalot teve que esperar até este dia para se estrear na prova e, como já se esperava, apostou nas esquerdas. Com algumas rasgadas a surfista de Cascais agarrou a liderança cedo no heat mas eventualmente caiu para segundo lugar atrás da top do Women’s Championship Tour Nikki Van Dijk. Na sua melhor esquerda conseguiu também atacar o lip e recebeu a nota de 5.27 pontos, passando entretanto para as direitas. Na terceira tentativa conseguiu fazer duas manobras fortes, recebendo 5.3 e voltando para a liderança, uma situação que só mudou com a última onda de Nikki, mas ambas seguiram para o round 4.

Pouco depois seria a vez de Camilla Kemp competir pela segunda vez nesta prova, no heat 12 contra Sally Fitzgibbons, India Robinson e Alyssa Spencer. Camilla começou com uma onda boa e apesar do back up fraco, liderou durante os primeiros minutos. Mesmo melhorando a sua segunda melhor nota Kemp caiu para terceiro lugar, depois de Alyssa e India fazerem algumas ondas, deixando a portuguesa a precisar de uma nota de 5.43 pontos. Entretanto Sally entrou no ritmo e passou para a frente, dificultando o percurso de Kemp, que entretanto precisava de 7.73 para segundo lugar. A situação não mudou até ao fim e a “armada lusa” ficou limitada a uma surfista.

Seguiu-se a prova masculina, onde Carlos Munoz, à semelhança do dia anterior, foi quem mais se destacou mas outros, como Miguel Pupo, Jack Robinson, Jadson André, Hiroto Ohhara e Leonardo Fioravanti também mostraram grande forma e venceram as suas baterias.

Com o fim do round 4 do Burton Automotive Pro, o Holmes Civil Developments Pro recomeçou e ao fim de algumas horas Teresa Bonvalot voltava a competir, num confronto com dois nomes de peso, a eterna candidata ao título mundial, Sally Fitzgibbons, e a rookie do tour de 2019, Brisa Hennessy. Mesmo sendo um dos heats mais difíceis da fase, a atleta de Cascais abriu com uma onda muito forte, recebendo 7.17 e na sua terceira conseguiu um back up sólido de 4.77, notas que acabariam por ser suficientes para avançar para a fase seguinte. Perto do fim da bateria Fitzgibbons passou para a frente e Hennessy não parou de atacar mas seria insuficiente para eliminar a portuguesa, que assim seguiu para o round 5.

Acompanha a evolução desta prova em directo AQUI!

Heats com surfistas portuguesas no Holmes Civil Developments Pro:
Round 5
Heat 7 | Alyssa Spencer x Teresa Bonvalot

Comentários