Restavam 4 heats apenas para o último dia do Estrella Galicia Caparica Surf Fest, duas meias finais masculinas e as finais feminina e masculina.

As ondas rondavam meio metro no sets e o vento off shore não ajudava mas logo no primeiro heat Ruben Vitoria, que tinha sido um dos grandes destaques ao longo da prova, não parou de fazer notas sólidas. O basco foi crescendo ao longo do heat e com um par de notas 8 altas deixando Gony Zubizarreta, um ex-campeão desta prova, eliminado por combinação.

No heat seguinte, uma bateria 100% francófona, Charly Martin ganhou graças a uma onda que apanhou debaixo da prioridade do seu adversário e a transformou em 7 pontos. Thomas Debierre, que ao longo da prova tinha derrotado ambos os finalistas da etapa de Santa Cruz, teve que “engolir” o resultado e aceitar mais um 3º lugar, o terceiro da sua carreira.

Seguiu-se o heat mais esperado por todos os portugueses, a primeira final 100% portuguesa numa prova QS feminino. Seria também a primeira final para ambas, Teresa Bonvalot e Mafalda Lopes, as duas únicas surfistas portuguesas com títulos europeus Pro-Junior, e se a primeira levava consigo algum favoritismo devido à experiência de muitos anos no circuito QS, a segunda mostrou nos dias anteriores grande forma e conhecimento local. No passado Teresa quase sempre optava pela mesma estratégia neste circuito, esperar muito pela primeira onda, escolher uma boa a arrancar com uma nota alta, gerindo o heat a partir daí. Neste dia na Praia do Paraíso a sua estratégia foi oposta, não parando de fazer ondas do início ao fim, sempre a fazer manobras fortes no pocket, colocando a sua adversária sob pressão. A sua primeira onda, uma esquerda com várias manobras boas, garantiu-lhe uma nota de 7.17 e ao longo do heat fez outra, de 8.17, e de backside com duas manobras ainda melhorou a sua situação com uma onda de 9 pontos. Mafalda não baixou os braços, não parando de fazer ondas mas não conseguiu repetir as notas de heats anteriores, tendo que se contactar com um igualmente impressionante 2º lugar!

Depois de um domínio por parte dos surfistas franceses ao longo dos primeiros dias de prova, viu-se uma quebra nas fases finais e uma boa recuperação por parte dos surfistas ibéricos. Para o derradeiro heat da prova estava ainda um francês, Charly Martin, que proporcionou alguns dos melhores momentos da final, com dois aéreos de backside muito impressionantes. Mas o evento pertencia mesmo ao basco Ruben Vitoria, que vinha a fazer notas muito fortes desde o início e com duas notas de 9 pontos graças ao seu fortíssimo surf de backside impôs uma forte combinação e venceu com muito mérito a segunda prova QS da sua vida

Comentários