Já chegou ao fim mais um evento de surf realizado numa piscina de ondas com surfistas portugueses. Até aqui apenas Frederico Morais era o único surfista luso tinha competido em provas com ondas artificiais, o Founder’s Cup e o Surf Ranch Pro.

Entretanto, mais perto de casa, a marca O’Neill organizou um evento de surf na Surf Snowdonia, uma piscina localizada no País de Gales que utiliza a tecnologia WaveGarden. Para se qualificarem para este evento, que era apadrinhado pelo principal team rider da marca, Jordy Smith, os “concorrentes” tinham que publicar vídeos nas suas contas de instagram, com hastags específicos.

Mafalda Lopes, Beatriz Carvalho, Lourenço Sousa e Daniel Nobrega foram os surfistas que conseguiram a qualificação para representar Portugal no evento, juntamente com o team rider da marca Guilherme Ribeiro enquanto que os internacionais incluíam Tiago Carrique, Thomas Debierre e Noa Dupoy, entre outros.

O evento culminou em duas finais, masculina e feminina, de três surfistas cada com um totl três presenças lusas. Cada um dos finalistas surfava 4 ondas e no final a melhor de cada um contava. A feminina apenas teve Mafalda Lopes a representar Portugal mas, enquanto as suas adversárias não chegavam aos 6 pontos, Lopes descartou uma onda de 6.67, para vencer com uma nota de 7 pontos.

A final masculina foi mais renhida e no fim do dia menos de meio ponto separava os três competidores. Lourenço “Gatinho” Sousa foi uma das revelações do evento, tendo eliminado inclusivamente o ex-campeão mundial júnior de sub16, Thomas Debierre. Este surfista de S. João do Estoril liderava a final com uma nota de 7.5 pontos depois de duas ondas, mas no fim foi superado por dois grandes destaques do surf Europeu, Guilherme Ribeiro, que fez uma nota de 7.53 e ficou em segundo e o francês Tiago Carrique que, com uma nota 7.93, venceu a prova!

Comentários