Slater imparável em Fiji | Adriano eliminado | Dias 7 e 8

publicado há 2 anos por 0

FIJI-PRO-DIA-7-e-8-2015

Dois dias de prova foi o que bastou para colocar Kelly Slater de novo no topo do WCT. Não no ranking, mas sim no estatuto de melhor surfista entre os seus “pares”. O ano, até aí, tinha sido bastante pobre e o 11x campeão do mundo tinha o seu pior arranque de sempre, com dois 13ºs, um 9º e um 5º. Durante estes meses parecia que o melhor surfista de todos os tempos estava finalmente a perder o seu “mojo”, algo que por norma acontece perto dos 3o e poucos anos e não aos 43. Mesmo o primeiro heat de Kelly no Fiji Pro foi muito fraco, perdendo para Alejo Muniz e Kolohe Andino.

Mas Slater e Fiji têm uma ligação especial e logo no round 2, no dia 7 do período, fez-se novamente o “click”. Contra o perigoso wildcard Jay Davies, Kelly não deu hipóteses, protagonizando uma das melhores performances do evento e do ano. Na sua melhor onda Slater deu um tubo longo e profundo e só o medo de verem algo melhor não deixou os júris dar a nota 10. O resultado final foi a média de 18.70.

Esse foi um dia de apenas 5 heats em que os brasileiros Adriano de Souza e Filipe Toledo passaram heats fáceis contra os wildcards de Fiji, Dane Reynolds bateu Josh Kerr e para acabar o dia já com muito vento Owen Wright bateu Aritz Aranburu por pouco.

Quando o Fiji Pro voltou à água CJ Hobgood, que tinha anunciado a sua reforma (no fim do ano) no dia anterior, surfou o seu último heat neste evento, sendo eliminado por Julian Wilson. O melhor heat da fase foi o de Jeremy Flores contra o rookie Ricardo Christie, com uma nota de 9 pontos para cada e um backup melhor (e a vitória) para o francês.

No round 3 Slater continuou o que tinha feito no dia anterior, a fazer surf num nível (ou 2) acima de todos os outros. Neste momento Kelly é o homem a abater nesta prova e se continuar com o mesmo ritmo não terá adversários à altura. A grande surpresa do dia foi a eliminação do líder do ranking, Adriano de Souza. “Mineirinho” tinha pela frente o mais imprevisível competidor da actualidade, Dane Reynolds, que já não fazia um campeonato bom no WCT há alguns anos. Dane estava em vantagem sobre Adriano, já que o brasileiro nunca o bateu no WCT. Dois tubos profundos mais tarde de Souza estava combinado e nunca conseguiu responder à altura. Esta derrota deixa a liderança do ranking ao alcance de Mick Fanning e Filipe Toledo, e deixa surfistas como Slater e Medina recuperarem algum terreno e possivelmente voltar à disputa pelo título.

O Fiji Pro deve voltar à água dentro de horas, podes acompanhar tudo em directo AQUI!

tags:

Comentários