Rookies e “substitutos” contra-atacam no round 2

publicado há 10 meses por 0

ROUND-2-DO-QUIKSILVER-GOLD-COAST-PRO-2016

O round 1 do Quiksilver Pro Gold Coast foi complicado para os rookies e “substitutos”, mas muita coisa mudou na segunda fase.

Depois de um dia dedicado ao surf feminino, o Quik Pro voltou à água e as condições estavam apenas razoáveis tendo em conta que Snapper nos seus melhores dias é uma onda de nível mundial. O primeiro heat foi excelente para abrir o dia pois defrontava o campeão mundial em título, Adriano de Souza, e o talento underground de Wade Carmichael. Wade provou ser um surfista muito forte neste tipo de condições com manobras a projectar muita água para o ar. Mas Adriano mostrou surf de campeão mundial com sequências de manobras incríveis, e bateu o vencedor dos trials com alguma vantagem.

No entanto, a partir do fim do heat seguinte tudo mudou. Julian Wilson, finalista desta etapa em 2015, encontrava-se na liderança apesar de não estar a fazer o seu melhor surf. Mas em cima do toque Sebastian Zietz, substituto por Bede Durbidge nesta etapa, apanhou uma onda decente, encheu-a de carves e finalizou-a bem para conseguir virar o heat.

Muitos outros aproveitaram a deixa e deram continuidade à mudança “mood”. O rookie Stu Kennedy é patrocinado pelas marcas de pranchas de que Kelly Slater é co-proprietário mas debaixo dos seus pés esses “foguetes” pareciam estar a funcionar melhor. No fim do heat Kelly fez uma longa direita para melhorar a sua posição mas Kennedy apanhou uma onda muito mais curta e com três manobras impressionantes fez a nota de 9.5 e venceu.

Depois de algumas horas de pausa devido à maré cheia a prova voltou à água com ondas piores e outro rookie, Ryan Callinan, usou o seu backside afiado para derrotar o veterano Jordy Smith. Também Conner Coffin e Kanoa Igarashi conseguiram mais duas vitórias para o “team rookie” sobre Kai Otton e Keanu Asing.

Davey Cathels mostrou surf para também vencer mas John John Florence, o seu adversário, estava bastante focado e passou. O mesmo se pode dizer de Alex Ribeiro que talvez tenha sido menos explosivo e radical que Adrian Buchan, o que poderá explicar a sua estranha derrota.

Por realizar, por falta de tempo, ficaram dois dos melhores heats da fase, Caio Ibelli vs Jack Freestone e Kolohe Andino vs Matt Banting.

Acompanha o próximo dia de prova em directo AQUI!

Comentários