O dia 3 do Azores Airlines Pro tinha tudo o que se esperava desta prova, ondas divertidas até um metro e água quente. A organização aproveitou para fazer uma pequena maratona de heats, avançando até aos quartos de final.

E, como já se devia esperar, 4 dos 8 surfistas ainda em prova são brasileiros e o facto de estar colocados em 4 heats diferentes deixa a hipótese de ter meias finais em que só se falar português. Não seria de estranhar que acontecesse pois o Brasil é a nação que tem dominado esta prova ao longo dos anos. De facto, nos 7 anos de historial deste evento, apenas dois surfistas não brasileiros, CJ Hobgood em 2011 e Jack Freestone em 2015, conseguiram vencer esta esta prova.

Este dia de prova teve um pouco de tudo, inclusive alguns heats que pareciam “airshows”. Um bom exemplo foi a bateria 2 do round 4, que juntou Yago Dora, Alex Ribeiro e Gony Zubizarreta. Yago dominou com uma série de aéreos reverse enquanto que o galego, Gony, conseguiu capitalizar nas esquerdas mais longas para escapar à eliminação.

Ainda no round 4 Davey Cathels fez a melhor nota da prova até aí, curiosamente sem voar. Com dois batidões de backside impressionantes o australiano que já fez parte do Championship Tour fez a nota de 9.07 e continuou a avançar.

Seria na fase seguinte que Yago Dora, o grande favorito à vitória, a passaria a nota de Cathels com mais um grande aéreo, garantindo a vaga nos quartos final. A revelação desta etapa está a ser Peterson Crisanto que, depois de se ter afastado tour por 2 anos, voltou em grande forma e também marcou presença nos quartos de final.

Heats dos quartos de final
Heat 1 |
Gony Zubizarreta x Yago Dora
Heat 2 | Peterson Crisanto x Wade Carmichael
Heat 3 | Artiz Aranburu x Michael Rodrigues
Heat 4 | Davey Cathels x Bino Lopes

O Azores Airlines Pro regressa amanhã a partir das 8 horas, acompanha tudo em directo AQUI!

Comentários

Deixe uma resposta