O White Buffalo Women’s Hyuga Pro, realizado no Japão era a penúltima etapa do ciruito QS feminino que oferecia pontuações de alguma relevância para a qualificação para o Championship Tour de 2019.

A esta etapa de 3.000 deslocaram-se duas surfistas portuguesa, Camilla Kemp e Teresa Bonvalot. Ambas venceram no round 1 e foram eliminadas no round 2. Teresa foi superada pela australiana India Robinson e pela top do Championship Tour, Sage Erickson, ficando a precisar de uma nota de de 6.07 para passar enquanto que Camilla perdeu para três japonesas, a precisar de uma nota de 7 pontos. Entre elas quem mais tinha a perder era Bonvalot, que procurava nesta etapa um resultado alto, algo como um 3º lugar para se aproximar um pouco mais do top10.

A grande vencedora foi a neozelandesa Paige Hareb que, numa final muito disputa, superou a australiana Isabella Nichols por apenas 0.23 pontos. No entanto, contas feitas, esta prova não mudou muito no ranking. Paige subiu algumas posições dentro do top10 mas o “cut” continua igual há quase 2 meses, na 10ª posição de Brisa Hennessy.

O circuito feminino requalifica as 10 primeiras surfistas do Championship Tour e as 6 primeiras do QS. Isso significa que as qualificadas pelo qualifying series seriam, neste momento, as seguintes surfistas: Caroline Marks, Coco Ho, Nikki Van Dijk, Silvana Lima, Bronte Macauley e Keely Andrew. No entanto, 3 delas, Caroline, Coco e Nikki, encontram-se também no top10 do CT, tornando-se double qualifyers, e também a 8ª classificada, Tatiana Weston-Webb, se encontraria garantida pelo Championship Tour se o ano acabasse agora. Isso significa que Teresa, que entretanto caiu para a 17º posição no ranking QS, terá que recuperar, pelo menos, 2.590 pontos ou mais, caso Brisa ou outra surfistas do top20 não pontuem na próxima etapa. Contas feitas, menos que um 3º lugar no Port Stephens Toyota Pro, prova QS 6.000 realizada em NSW, Austrália, não será suficiente para a colocar no Championship Tour. Curiosamente foi nessa etapa que Teresa conseguiu o seu melhor resultado de 2017, um 5º lugar, uma posição que prova que tem potencial de fazer o requisito exigido este ano!

Comentários

Os comentários estão fechados.