O dia seguinte a um dos melhores de sempre na história da WSL poderia acabar por ser anti-climático mas não foi o caso e o Tahiti Pro Teahupo’o terminou em grande.

Owen Wright estava no primeiro heat do dia e tratou de mostrar que estava ali para vencer. O australiano fez notas de 10 e 9.07, e mesmo com uma nota de 9 pontos Jadson André não conseguiu sair da combinação em que se encontrava. De seguida Jordy Smith, que estava de olho na liderança do tour, fez a sua melhor onda da prova para bater Adriano de Souza, e seguir para as meias finais.

Do outro lado da grelha Gabriel Medina não teve que surfar muito para bater Jeremy Flores e o rookie Seth Moniz, que continuou a mostrar a sua linhagem havaiana para vencer a sua bateria, eliminando Caio Ibelli. Owen foi mais uma vez o destaque da fase, batendo Jordy, enquanto que Medina despachou Moniz.

A final foi uma repetição da de 2018, quando Gabriel Medina bateu Owen Wright em ondas mais pequenas nos últimos segundos. Desta vez foi a situação foi inversa, Gabriel começou a dominar a bateria e perto do fim, mesmo com prioridade, deixou passar duas ondas incríveis que Wright transformou em notas altas, vencendo assim pela primeira vez desde Março de 2017, subindo assim 4 posições para entrar no top10.

Comentários