Os 7 destaques do round 1 do Hurley Pro

publicado há 4 meses por 0

sete-destques-do-round-1-em-trestls-2016

Depois de 3 rounds do Swatch Women’s Pro, divididos em 2 dias, o Hurley Pro entrou na água com ondas de um metro (inicialmente sem vento) em Tresltes. A acção não parou durante 10 heats até que no 11º as condições pioraram e a prova ficou por aí. Fica a conhecer os 7 destaques deste primeiro dia de prova.

O sul-africano Jordy Smith parece estar um pouco perdido entre gerações. Mais novo que os veteranos Fanning/Parko e companhia e mais velho que a “turma” que vai de Igarashi a Medina, Smith está numa fase em que não parece estar a progredir no ranking. Apesar disso mostrou no round 1 que o surf está lá e que chega para bater qualquer surfista do tour quando está nos seus dias. Neste momento ocupa a 5º posição do ranking e um bom resultado aqui poderá ser a receita certa para dar a volta a esta fase.

Kanoa Igarashi é um dos mais subestimados surfistas do Championship Tour mas a sua técnica fala mas alto que o seu estatuto. Apesar de ter “boiado” durante quase 20 minutos, nos últimos 5 fez duas ondas impecavelmente surfadas e bateu os australianos Wilson e Callinan, mantendo assim o seu recorde único de zero derrotas no round 2 para um rookie.

O campeão mundial de 2014, Gabriel Medina, gosta de apanhar muitas ondas e nem sempre isso corre a seu favor. Desta vez isso custou-lhe uma interferência mas, mesmo assim, percebeu que apenas precisava de fazer o seu surf para vencer à mesma e a confiança de passar um heat com uma interferência deverá jogar a seu favor!

Tanner Gudauskas foi o herói do dia. O local conseguiu uma vaga via trials e fez lembrar a todos que merece estar no Championship Tour. Quando apanhou uma onda de set tratou de a destruir como nenhum outro neste dia, com um ataque de backside incrível, e recebeu uma nota 10, algo raro de ser atribuído com manobras e especialmente sem aéreos!

Filipe Toledo tinha pela frente o surfista que mais queria abater, Kelly Slater, e ainda o perigoso Jeremy Flores. Kelly vinha de uma vitória em Teahupoo e é o surfista com mais sucesso na história de Trestles mas, mesmo com uma liderança sólida, não conseguiu parar a “bombinha Toledo”. O mais impressionante foi ter conseguido a vitória na sua última onda, a precisar de uma nota excelente e sem ter feito qualquer aéreo.

Joel Parkinson foi o surfista do dia. Num ano muito “morno” em que se fala da reforma, Joel parece ter acordado neste heat e fez questão de bater o seu amigo Fanning com uma série de grande carves e manobras a soltar o tail. Quando lhe falaram de vencer o campeonato, na entrevista pós heat, Parko mostrou-se calmo e focado, o que poderá ser a receita certa para conseguir um grande resultado.

Finalmente Matt Wilkinson foi o destaque pela negativa. Enquanto esteve no primeiro lugar no ranking Wilko não parecia ele próprio, raramente fez erros e conseguiu gerir a liderança até Teahupoo. Mas no seu primeiro heat sem a lycra amarela o australiano parece ter perdido toda a confiança e se não der a volta antes do próximo heat habilita-se a cair muito no ranking.

Acompanha o próximo dia de prova em directo AQUI!

Comentários