Ondas pesadas no segundo dia do Allianz Algarve Pro | Liga MOCHE

publicado há 3 anos por 0

Allianz-Algarve-Pro-Day-02

Como previsto, a ondulação entrou com força no segundo dia do Allianz Algarve Pro e as ondas na praia do Amado passaram os dois metros. Os bancos de areia aguentaram bem a dimensão deste swell, proporcionando longas esquerdas e direitas que quebravam muito longe da praia.

Mas não estava muito fácil de chegar ao pico e garantir duas ondas boas. O heat que testou as condições, o primeiro da manhã, tinha três algarvios e ainda Ruben Gonzalez. Qualquer um destes surfistas tinha potencial para avançar mas foram Joackim Guichard e Ruben quem avançou, eliminando Miguel Mouzinho e Alex Botelho.

Nicolau Von Rupp foi um dos competidores que mais “apreciou” as desafiantes condições, algo muito visível pela seu expressão quando se preparava para entrar. E a sua prestação foi como se esperava, fortíssima. Nic estava completamente à vontade nestas ondas e encheu duas com fortíssimos carves e algumas manobras de lip para terminar com a melhor média do dia, 15 pontos. Mas a grande surpresa deste heat foi a eliminação de um dos grandes favoritos à vitória nesta etapa, Marlon Lipke. O luso-germânico não conseguiu apanhar nenhuma onda com muito potencial e acabou eliminado pelo “up and comer” Pedro Coelho, que surfou muito bem uma onda perto do fim do heat para passar para segundo lugar.

Outros destaques neste dia foram Vasco Ribeiro, que acabou com uma média alta devido a algumas direitas muito bem “rasgadas”, e ainda Pedro Henrique, que surfou bem e finalizou ainda melhor no mesmo pico. Miguel Blanco e Gony Zubizarreta andaram no mesmo registo e também venceram destacados os seus heats.

No último heat desta segunda fase Tomás Fernandes venceu novamente a sua bateria, mas foi o seu companheiro de equipe, Luís Perloiro, quem se tornou na revelação do dia ao avançar em segundo lugar para o round de 16. Este surfista de Carcavelos, evoluiu muito este ano e tem melhorado os seus resultados a cada etapa, provando que poderá “dar que falar” num futuro próximo.

Enquanto esta fase se desenrolava vários competidores mostraram vontade de parar o campeonato e esperar por ondas mais acessíveis, onde se podiam destacar mais pelo surf que pela “sorte”, no terceiro dia de prova. Eventualmente o director de prova, Pedro Monteiro, acabou por aceder e colocar a prova on-hold até ás 17 horas. As condições não melhoraram e o round de 16 e a prova feminina, foi adiado para o último dia de prova. Acompanha tudo em directo AQUI!

Comentários