Com a lista final decidida a quatro dias do evento um nome destacava-se como o grande favorito para vencer o Moche Capítulo Perfeito 2013, Nicolau Von Rupp. Nos últimos meses o luso-germânico tem estado em grande forma e uma prova destas, realizada na praia dos Supertubos em Peniche, encaixa na perfeição com o seu tipo de surf.

Mas na verdade pelo menos 14 dos 16 competidores tinham boas hipóteses de vencer este campeonato e garantir os 5.000 euros de prize money para o primeiro lugar. A prova começou como se esperava, cedo, com ondas de 2 metros “plus” e pouco vento. A maré não era a mais favorável e o arranque não foi imediato mas quando o primeiro heat entrou na água tudo parecia preencher as expectativas do público, patrocinadores e organizadores.

Ruben Gonzalez foi o primeiro a “abrir as hostilidades” com um grande tubo para a direita, seguindo esse tubo uns minutos mais tarde de outro para começar o dia com uma forte média. Seria de esperar uma resposta à altura da parte dos seus adversários (Ivo Cação, Rodrigo Herédia e João Guedes) mas infelizmente as secções tubulares não abundavam. O surfista da Figueira da Foz (Ivo) foi quem garantiu a vaga no round 3 da prova graças a um tubo um pouco melhor que o de Rodrigo Herédia.

O outro momento forte desta fase aconteceu no quarto heat quando Marlon Lipke deu um longo tubo de backside que lhe garantiu a “pole postion” para o prémio de 2.000 euros atribuído pela Red Bull ao melhor tubo da prova.

Já na repescagem João Guedes repetiu a performance da última etapa da Liga, realizada nesta mesma praia, com um dos mais longos tubos do dia para a esquerda para vencer o seu heat. Este seria o último heat com condições “limpas” pois o vento on-shore entrou com força e para ficar.

Pouco depois a prova parou, esperou-se por uma melhoria e quando esta não aconteceu adaptou-se critérios. Até aí a única manobra pontuada era o tubo mas o vento não permitiu tais “luxos” e os júris tiveram de se adaptar a uma nova realidade e aplicar os critérios normais que pontuam todas as manobras.

A partir desse momento alguns surfistas “hipotecaram” as suas hipóteses de vencer a campeonato pois a sua condição de “especialistas de tubos” deixaria de ser tão útil como antes. Mas isso nada atrapalhou Nicolau Von Rupp que continuou a surfar dois níveis acima dos seus adversários. Na sua melhor onda Nic fez uma rasgada e seguiu-a de um reentry numa secção pesadíssima para conseguir uma vitória fácil e folgada.

Outro surfista surgiu logo de seguida como um possível adversário de Von Rupp, Ivo Santos. Este surfista da Cova do Vapor é um dos melhores do nosso país em ondas pesadas e numa esquerda “de respeito” deu um tubo e seguiu-o de um snap tão forte que, minutos mais tarde, quando voltou para a área de competidores, foi recebido com aplausos da parte dos seus adversários, algo que só aconteceu uma vez neste dia.

Já nas meias finais Nicolau continuava a sua “passeata” até à final, seguido por muito perto de um surfista que só não pode ser considerado o “dark horse” da prova porque fez a final no ano passado, Ivo Cação.

Na segunda meia-final Francisco Alves fez o oposto do que já nos habituou, foi brilhante não pelo surf que apresentou mas sim pela táctica. Enquanto que os seus adversários andavam a caça de tubos, Francisco procurava ondas mais manobráveis e assim avançou para a final trazendo Marlon Lipke consigo.

Logo no início da final, e com ondas cada vez mais pesadas e desfeitas pelo vento, Nicolau Von Rupp protagonizou o grande momento de todo o evento, um pesado tubo para a esquerda (e um claim artístico) que lhe valeu 10 pontos. Numa só onda o luso-germânico garantiu o prémio do melhor tubo e o prize money do primeiro lugar para conseguir um total de 7.ooo euros (mais um relógio Rip Curl).

Marlon Lipke respondeu com outro tubo mas não conseguiu melhor do que o segundo lugar. Francisco Alves também fez uma onda forte mas foi “traído” por um set pesado e pela forte corrente que lhe tirou 15 minutos do heat, pois não conseguiu sair do mesmo sítio. Ivo Cação não se encontrou com as melhores ondas e acabou em quarto lugar, mas as suas finais consecutivas dizem muito sobre o potencial deste surfista.
Parabéns Nicolau!!!

Comentários

Os comentários estão fechados.