O dia final do Caparica Surf Fest Pro presented by Oakley (QS 3.000 masculino e 1.000 feminino), começou com ondas de meio metro e vento off-shore. Para este dia estavam reservadas apenas 6 baterias, as meias finais e finais de cada categoria.

Tudo começou pelas 11:30 com a bateria da única portuguesa ainda em prova, Teresa Bonvalot. A surfista de Cascais era a clara favorita neste confronto com a britânica Ellie Turner, o que a colocava no caminho da sua primeira vitória neste circuito. Mas foi Turner quem abriu melhor o heat, algo que no fim fez a diferença. Depois de não conseguiu pontuar em várias ondas consecutivas, Teresa fez a melhor onda do heat, com duas batidas de backside para receber 5.5. Pouco depois fez mais uma direita com várias manobras e, mesmo não sendo tão expressivas como as duas que fez anteriormente, a nota de 3.43 que recebeu pareceu ser um pouco “reservada”. No fim Ellie usou a sua prioridade para bloquear a portuguesa e fazer a sua segunda melhor nota, o que lhe garantiu a sua segunda final consecutiva nesta prova.

Na bateria seguinte Pauline Ado fez uma das melhores exibições de sempre e impôs uma combinação a Eveline Hooft, para se juntar à Ellie na final. Na final foi mais do mesmo, Pauline Ado surfou num nível muito superior e deixou Ellie Turner em combinação, garantindo assim 5º vitória da sua carreira.

Na categoria masculina Jorgann Couzinet e Krystian Kymerson, que foram dos principais favoritos à vitória final ao longo do evento, protagonizaram um grande confronto na disputa pela primeira vaga na final. Ambos pontuaram forte nas direitas, primeiro Jorgann com uma série de carves e uma boa finalização para garantir 8 pontos cedo no heat. Kymerson não baixou os braços e com grandes pauladas de backside passou para a frente e aí ficou até ao último minuto, quando o francês da Ilha Reunião fez uma onda semelhante à que tinha feito mais cedo e virou o resultado.

A segunda meia final, Nat Young VS Charly Martin, foi semelhante. Martin começou bem, acertando inclusivamente um aéreo reverse full rotation para deixar o norte americano a precisar de uma nota alta. Nas suas duas últimas ondas Young deu bom uso ao seu backside e garantiu um lugar na final.

Na final as ondas estavam maiores que mais cedo no dia, com muitas oportunidades de pontuar alto. Ambos procuravam a sua terceira vitória no QS e no caso de Nat Young o intervalo era grande para as primeiras. Foi em 2008, com 16 anos, que o surfista de Santa Cruz venceu pela primeira vez, repetindo o feito apenas em 2012, apesar de entretanto já ter feito três finais no Championship Tour. No entanto era Jorgann Couzinet quem parecia estar destinado a vencer, abrindo com uma onda de 8.5 e fazendo logo um back up de 4.83 pontos. Ao longo de grande parte da bateria Nat encontrou dificuldades em fazer notas altas mas perto do fim encheu mais uma direita de grandes pauladas de backside para receber 9.8 pontos e passar para a frente e garantir os 3.000 pontos do primeiro lugar!

Comentários

Os comentários estão fechados.