A nova geração nacional foi o destaque do primeiro dia deste evento Prime em águas açorianas!

A ilha de São Miguel, Açores, voltou a receber alguns dos melhores surfistas do mundo da melhor forma: com ondas perfeitas de metro e meio, vento fraco, sol, água morna e, tubos!!! Era este o cenário matinal, e quando os tubos não apareciam não faltavam paredes manobráveis nos Areais de Santa Bárbara, praia que já recebe os melhores do mundo há uma mão de anos!

E o dia começou logo, como já esperavas, com uma bandeira portuguesa na água, esta levada pelo único português no WCT, Tiago Pires. Mas, infelizmente, Pires não encontrou as ondas com potencial apanhando algumas ondas com pouca parede, o que o levou a fazer duas ondas na casa dos três pontos e acabando eliminado em quarto lugar.

A armada portuguesa não começava da melhor forma mas no heat 4 Frederico Morais viria a mostrar, mais uma vez, o que lá vem da nova geração portuguesa! O seu backside ataque foi demolidor nas esquerdas que “rolavam” para cima dos calhaus e, juntamente com Jack Freestone, passou para o round 2, deixando para trás David Van Zyl e Pedro Henrique, que entrou à última da hora.

Morais-Sata-Azores-Pro-2014-Day-1

BOOMMM, foi o que se ouviu no continente quando Frederico Morais deu este trancadão! Photo by carlospintophoto.com

Nathan Hedge, no heat 8, continuou a mostrar ao mundo que o seu lugar é no WCT e que o surf não tem mesmo idade e tudo é possível desde que se meta o coração, a mente e a alma a 1000%.

Dois heats depois e entrava mais um português, o júnior, actual líder do circuito europeu Pro Junior, Vasco Ribeiro. E Ribeiro mostrou o porquê de ser um dos melhores juniores do mundo! A sua média foi a terceira do dia, 16.34, e o seu surf foi poderoso, preciso, fluido e deixou muitos dos “estranjas” presentes de sobrançelha erguida! Na sua melhor onda, um 8.67, Ribeiro deu “apenas” duas stickadas para a esquerda mas o power que lhes meteu, a água que mandou para o ar e o tail que tirou na segunda manobra deram-lhe uma justíssima nota excelente e garantiram-lhe o primeiro lugar do heat à frente nada mais nada menos do que Matt Banting, actual líder do ranking WQS!

Mais dois heats e São Miguel parava para apoiar o local Manuel Morgado que abriu o seu heat com um tubo controlado para a direita mas que infelizmente não foi longo o suficiente para uma nota excelente. Apesar de ter perdido em 4º lugar, Morgado surfou bem e teve, como sempre, um forte apoio local!

Entretanto, no heat 16, o brasileiro Italio Ferreira dava uma das rotações de backside mais iradas que o mundo já viu em competição, um abusado full rotation que lhe valeu uma nota quase perfeita, um 9.67, e que, se perdeste, podes ver já no vídeo abaixo!

Chegávamos ao heat 19 e onde estava mais um português, Marlon Lipke. Foi um heat difícil e numa altura em que o onshore e uma maré a ficar muito cheia já complicava, e muito, as ondas e consequentemente a vida aos competidores. Encontrar ondas que não morressem não era fácil e Lipke apanhou uma direita onde encaixou três biscas de backside e parecia encaminhado para o round 2. Mas encontrar uma segunda onda não foi fácil, e o algarvio perdeu a precisar de uma nota de 3.87. A dois minutos do fim apanhou uma esquerda onde encaixou três manobras mas a onda era pequena não permitindo a explosão do nosso Hulk e a nota abacou por sair magra, 3.40. Lipke era assim a terceira baixa portuguesa!

Logo de seguida entrou o wildcard (da organização) José “Zé” Ferreira! O surfista do Guincho teve um bom ano de WQS o ano passado mas este ano ainda não tinha mostrado o seu verdadeiro portencial neste árduo circuito. Mas Zé sabe que é sempre uma questão de tempo até encontrar o ritmo certo e este heat parece ter sido o ponto de viragem. Começou com ondas medianas, encaixando boas primeiras manobras para a direita mas não conseguindo dar continuidade pois as ondas desapareciam. Mesmo assim conseguiu aguentar-se em segundo lugar, atrás de Nate Yeomans que encontrou duas boas esquerdas e lhes induziu carves poderosos e pauladas. Dillon Perillo e Alejo Muniz teimavam em dar uma manobra e cair, e o heat estava muito renhido e tudo poderia mudar. Zé sabia disso e quando encontrou a esquerda perfeita perto do final, encaixou-lhe um rasgadão e um trancadão a tirar o tail e saltou para o primeiro lugar, onde ficou até ao soar da buzina! E tínhamos mais um português no round 2!

Zé Ferreira prepara-se para vencer! Photo by carlospintophoto.com

Zé Ferreira prepara-se para vencer! Photo by carlospintophoto.com

Faltava apenas um nacional, Nicolau Von Rupp! O local da Praia Grande abriu com uma direita sólida e com o passar do tempo o heat lembrava cada vez mais o de Lipke. Von Rupp precisava de uma onda baixa para o segundo lugar mas o mar estava nesta fase muito difícil e Yadin Nicol e Wigolly Dantas mantinham-se na frente. Perto do final Von Rupp arrancou para uma esquerda mas o backwash não o permitiu arrancar tão rápido como queria acabando a onda por fechar rápidamente e terminando assim com o que poderia ser a última hipótese de Von Rupp!

O SATA Azores Pro regressa amanhã e o plano é fazer todo o round 2, portanto espera-nos mais um grande dia de surf onde Morais, Ribeiro e Ferreira vão voltar a defender as cores portuguesas! Podes ver quais os seus heats já de seguida e não te esqueças de assistir a tudo ao vivo, a partir das 9h, carregando AQUI!

ROUND 2
Heat 1: Leonardo Fioravanti (ITA), Ezekiel Lau (HAW), Marco Fernandez (BRA), Frederico Morais (PRT)
Heat 2: Jack Freestone (AUS), Patrick Gudauskas (USA), Tanner Gudauskas (USA), Mason Ho (HAW)
Heat 3: Jesse Mendes (BRA), Caio Ibelli (BRA), Vincent Duvignac (FRA), Nathan Hedge (AUS)
Heat 4: Tom Whitaker (AUS), Steven Pierson (PYF), Tomas Hermes (BRA), Aritz Aranburu (ESP)
Heat 5: Hiroto Ohhara (JPN), Vasco Ribeiro (PRT), Granger Larsen (HAW), Ricardo Christie (NZL)
Heat 6: Lucas Silveira (BRA), Santiago Muniz (ARG), Matt Banting (AUS), Glenn Hall (IRL)
Heat 7: Ramzi Boukhiam (MAR), Maxime Huscenot (FRA), Wade Carmichael (AUS), Jeremy Flores (FRA)
Heat 8: Italo Ferreira (BRA), Willian Cardoso (BRA), Marc Lacomare (FRA), Vicente Romero (ESP)
Heat 9: Joan Duru (FRA), Mitchel Coleborn (AUS), Ian Gouveia (BRA), Nathan Yeomans (USA)
Heat 10: Jose Ferreira (PRT), Beyrick De Vries (ZAF), Cooper Chapman (AUS), Jadson Andre (BRA)
Heat 11: Brett Simpson (USA), Yadin Nicol (AUS), Conner Coffin (USA), Hiroto Arai (JPN)
Heat 12: Michael Dunphy (USA), Keanu Asing (HAW), Wigolly Dantas (BRA), Kiron Jabour (HAW)

(Highlights do dia 1 do SATA Azores Pro – Heat 1-12)

 

Comentários

Os comentários estão fechados.