Morais bate Ribeiro em final muito disputada | Dia 3

publicado há 8 meses por 0

Frederico Morais, the champ. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE
Frederico Morais, the champ. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Com apenas 8 surfistas ainda em prova e 7 heats para terminar a organização teve o luxo de esperar pela melhor maré para arrancar com o último dia do Allianz Sintra Pro.

As ondas estavam parecidas ao dia anterior, com cerca de meio metro, pouquíssimo vento e muito calor. Zé Ferreira e Pedro Henrique foram os primeiros na água e fizeram um heat muito equilibrado. Muitas ondas foram surfadas mas as últimas 6 que ditaram o resultado final. Foram ondas muito semelhantes para ambos os surfistas mas Zé pontuou um 6.90 contra o 6 de Pedro, e venceu a bateria, derrotando assim um dos principais candidatos à vitória.

Esperava-se uma vitória bastante destacadas na bateria seguinte pois defrontava um surfista que não precisa de grande apresentação, Frederico Morais, e um grom em ascensão, Jácome Correia. Mas não foi o que aconteceu. Morais apanhou muitas ondas mas não conseguiu criar muita distância e no fim Correia ficou a precisar de uma nota bastante acessível 7.21, para virar o heat. Essa onda não apareceu e acabou eliminado mas conseguiu da Praia Grande o seu primeiro grande resultado na Liga.

Miguel Blanco ficou perto de bater Tiago Pires pela primeira vez na sua carreira. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Miguel Blanco ficou perto de bater Tiago Pires pela primeira vez na sua carreira. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Miguel Blanco e Tiago Pires fizeram mais um heat fortíssimo e na praia muitos acreditavam o surfista de São Pedro do Estoril tinha fortes hipóteses de vencer. De facto Blanco foi um pouco mais consistente que Saca, mas o veterano do CT fez a melhor nota do heat, um 8 pontos, e seguiu para a fase seguinte.

Dylan Groen foi, juntamente com Jácome Correia, uma das revelações do evento. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Dylan Groen foi, juntamente com Jácome Correia, uma das revelações do evento. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Para terminar o round Vasco Ribeiro fez novamente a melhor média da fase, vencendo por combinação outra revelação desta prova, Dylan Groen.

Vasco Ribeiro foi o melhor surfista do campeonato até às meias finais... Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Vasco Ribeiro foi o melhor surfista do campeonato até às meias finais… Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Nas meias finais Frederico Morais abriu com uma nota de 8.5 e não olhou mais para trás. Zé Ferreira respondeu com uma nota de 7.5, mas ambos não conseguiram back ups fortes nesta fase em que a maré já estava a ficar pior. No fim Ferreira só precisava de 6.91 mas não conseguiu melhor que 3.60 e perdeu a oportunidade de lutar pela sua primeira vitória.

Na outra meia final Tiago Pires quase surpreendeu o surfista mais em forma da prova, Vasco Ribeiro. Na sua última onda Saca fez 7.8, aproximando-se bastante do ex-campeão mundial júnior. No entanto Vasco tinha notas de 8.25 3 6.70 a contar e assim venceu mais uma bateria.

LM4_h3

Tiago Pires, surf sólido. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

A final só se realizou várias horas mais tarde, quando a maré começou a acertar. Apesar de não ter chegado a esta prova como um dos principais favoritos, Vasco Ribeiro estava numa forma incrível tendo conseguido a média mais onda de todos os rounds até aí. Por outro lado Frederico Morais tem mostrado uma competitividade acima da média e sabia que uma vitória nesta etapa o colocava numa excelente posição para conquistar o tri-campeonato da Liga.

Ambos começaram com notas altas, 7.75 de Frederico contra 7.5 de Vasco. Depois de um longa pausa Morais começou “carburar” com várias ondas bem surfadas para ficar com um bom back up. Entretanto Vasco fez a sua segunda nota sólida com uma longa direita que teve uma finalização muito forte, recebendo a nota de 7.15. Mas Morais respondeu com um dos seus “combos”, snap a soltar o tail (e muita água), carve e reentry (a soltar o tail), o que lhe garantiu a nota de 8.65. Na onda seguinte podia ter fechado a porta a Ribeiro mas arriscou muito numa finalização, caindo num aéreo reverse. O heat chegou ao fim e “Kikas” continuava na frente, conseguindo a sua segunda vitória em apenas 3 etapas.

LM4_h7

Ninguém descobriu como bater o carve de Frederico Morais nesta prova. Photo by Pedro Mestre/Liga MOCHE

Vasco não venceu mas saiu da praia com o maior cheque, 4.350 por ter vencido o Allianz Triple Crown. A disputa pelo título tornou-se assim bastante interessante e, apesar de haver vários candidatos, muito provavelmente será uma disputa entre Pedro Henrique e Frederico Morais.

A próxima, e decisora, etapa será o Cascais Pro, que se realiza entre 6 e 8 de Outubro.

Comentários