Molhe Leste recebe dia 7 do MOCHE Rip Curl Pro Portugal

publicado há 2 anos por 0

RIBEIRO-E-MEDINA-NA-REPESCAGEM

A ondulação gigante que tanto se esperava para este dia de prova, no início do campeonato, acabou por ter um aspecto muito diferente do que as previsões tinham apontado. Para começar o mar não estava tão grande, passando pouco dos dois metros e também o vento estava de uma direcção completamente diferente o que empurrou o MOCHE Rip Curl Pro Portugal para um sítio improvável, o Molhe Leste.

Não seria a primeira vez que uma prova do CT passava por este “cantinho” que fica a poucas centenas de metros dos Supertubos. Em 2009, ano do regresso da elite do surf mundial a Portugal, na altura como parte dos eventos móveis “The Search” da Rip Curl, “a procura” levou o evento ao Molhe num dia com ondas pequenas e com pouco força. Foi nesse meio round, numa época em que havia round 1 sem repescagem, que Tiago Pires foi eliminado, iniciando uma péssima tradição de derrotas prematuras que infelizmente dura até hoje.

Desta vez seria em ondas muito maiores, a rondar os dois metros nos sets, que os surfistas do championship tour enfrentarem novamente esta opção penichense. Foi às 10:50 que o campeonato começou mas antes o público que ia chegando à praia assistiu a muito bom surf da parte de competidores como Ítalo Ferreira, Vasco Ribeiro, Frederico Morais, Nat Young e principalmente Jeremy Flores. Com o início da prova veio uma grande chuvada deixando quem assistia sem sítio se esconder. Mas o público não arredou pé, até porque havia cores nacionais no primeiro heat do dia.

Vasco Ribeiro tinha como adversários Jeremy Flores e Keanu Asing e foi um heat definido carve a carve, finalização a finalização. Vasco esteve a par de Flores, enquanto que Keanu ficou um pouco atrás. O português estava em boa forma mas houve dois momentos que o deixaram fora da passagem directa para os quartos de final. Na sua melhor onda, depois de fortes carves, Ribeiro não conseguiu acertar a junção e deixou de ter mais uma nota alta. Depois foi Flores que atacou o lip duas vezes na mesma onda de set e fugiu com a liderança, deixando o campeão mundial júnior cair para a repescagem.

De seguida Ítalo Ferreira deu mais um passo a caminho do prémio de rookie do ano ao bater Gabriel Medina e Michel Bourez. O seu surf “fast forward” encaixou bem neste tipo de ondas e com notas de 8.17 e um 9 deixou os seus adversários combinados.

Entretanto foi a vez de Joel Parkinson, já no round 5, mostrar que ainda tem muita “gasolina no tanque”. Já se fala de uma possível reforma de Parko no fim do ano e o facto de estar a ter o pior ano da sua carreira também alimenta os “zunzuns”! Mas neste heat o seu surf de rail sobressaiu sobre o young gun Kolohe Andino, que respondeu bem mas foi mais conservador do que se espera, o que acabou por ditar a sua derrota.

Também Brett Simpson parece ter encontrado uma segunda vida nesta etapa e bateu o competitivo Nat Young numa batalha de notas baixas. A maré já começava a ficar muito cheia e as direitas pesadas que tinham entrado mais cedo já eram uma miragem. Tendo isso em conta o “comissioner” de serviço, Travis Logie, parou a prova e marcou um novo call para as 7 horas da manhã de amanhã. Acompanha o call em directo AQUI!

Comentários