O mar amanheceu mais uma vez com ondas bastante grandes em Ribeira D’Ilhas, confirmando que decisão de fazer uma maratona de heats no dia anterior foi acertada. Muitas ondas fechavam bem longe no outside, fazendo com que os competidores ficassem na zona de impacto à espera das intermédias para pontuar.

Gony Zubizarreta parecia ser o surfista mais em forma do evento, tendo batido Nicolau Von Rupp e Kiron Jabour a caminho da primeira final do ano. Do outro lado da grelha vinha um surfista on a mission, Miguel Blanco, que também se encontra num pico de forma altíssimo e desde o primeiro heat da prova se mostrou como um forte candidato à vitória.

Miguel encontra-se, finalmente, no top50 do QS, mostrando potencial de continuar a crescer. Neste dia passou dois heats de notas baixas mas manobras fortes para eliminar Eduardo Fernandes nos quartos de final e Pedro Henrique nas meias, para se encontrar com o guerreiro galego na final.

O primeiro heat da prova feminina foi uma repetição do resultado de 2017, com Yolanda Hopkins a bater Teresa Bonvalot na primeira meia final. A final seria uma réplica exacta do Allianz Ericeira Pro do ano passado caso Carol Henrique tivesse batido Camilla Kemp na segunda meia final, mas Kemp não colaborou e tratou de virar o heat com a sua última onda. Na final fez uma onda com nota semelhante para vencer, começando o ano na pole position e entrando assim na disputa de um título que tem toda a legitimidade de perseguir!

A final masculina só teve 3 ondas surfadas e a primeira de Miguel Blanco acabaria por ser suficiente para levar a vitória. O talentoso regular de São Pedro do Estoril estreava-se assim no topo do podium, batendo Gony num heat muito difícil e agarrando a liderança do circuito pela primeira vez na sua carreira! O circuito segue agora para Matosinhos, em 4 a 6 de Maio, onde se realiza o Renault Porto Pro.

Comentários