O Heroes de Mayo Iquique Pro continua a avançar em La Punta, Chile, e o único surfista português ainda em prova, Miguel Blanco, estava a dar que falar.

As ondas caíram um pouco em relação ao dia anterior, mas a acção aumentou. Os adversários de Miguel, no heat 2 do round de 16, eram Alonso Correa, Raoni Monteiro e Skip McCullough e foi o menos “cotado” dos três, Skip, quem encontrou as melhores ondas. Blanco tratou de começar bem e logo na sua segunda tentativa fez uma das melhores notas do heat. McCullough rapidamente fez uma nota de 7 pontos e pouco antes tinha “fabricado” um bom back up, para praticamente dominar o heat. Alonso e Raoni estavam muito perto do português em termos de pontos mas na sua última onda Miguel fez mais uma nota forte, passando a ocupar uma posição mais sólida no segundo lugar.

O primeiro heat da fase foi vencido pelo surfista que fez a nota 10 no dia anterior, Guillermo Satt, seguido de Marco Giorgi. Outro destaque desta fase foi a presença de João Chianca, o jovem irmão do vencedor do Nazaré Challenge 2018, Lucas, que venceu o seu 3º heat consecutivo para também avançar para os quartos de final.

Entretanto, enquanto decorria a prova feminina, Miguel Blanco, que iria defrontar Guilherme Satt pouco tempo depois no heat 1 dos quartos de final man-on-man, foi chamado ao palanque pois seria feita uma alteração. Aparentemente nas filmagens de webcast foi vista uma interferência, que deixou o português em quarto lugar, uma decisão um pouco polémica já que não deram hipóteses de se repetir a bateria. Miguel iria continuar a subir no ranking e caso avançasse mais um heat, poderia entrar no top30 do QS. Infelizmente terminou aí, de forma estranha, a presença do nosso melhor representante em prova, que acabou em 13º lugar quando umas horas antes tinha pelo menos um 5º lugar garantido.

Acompanha a próxima fase em directo AQUI!

Comentários

2 comentários a “Miguel Blanco eliminado de forma polémica no Chile”

  1. Artur Fernandes diz:

    E Miguel, depois desta injustiça vai a Arica e limpa aquilo e traz o caneco para casa.

  2. Artur Fernandes diz:

    Sinceramente não vi o heat e não posso comentar se existe ou não interferência, mas como é possível demorarem tanto tempo para alterar o resultado do heat? Em Portugal na liga Meo já vi muito erros por parte dos juizes, o que é natural pois errar é humano mas a resposta que sempre ouvi é que depois do heat terminar não há nada a fazer, afinal pelos vistos há. Já agora os nossos juizes internacionais Portugueses que vejam como lá fora protegem os surfistas dos países deles ou com quem tem ligações, não digo para não serem imparciais mas não tenham medo de dar notas por serem portugueses e o surfista que está dentro de água também o ser, em caso de dúvida protegiam os nossos, que os Franceses e Espanhóis roubam que é um escândalo.