Depois de um pouco característico lay day na Liga MEO Surf o Allianz Algarve Pro voltou a avançar na Praia do Amado, para finalizar a prova em grande.

Logo no round de 16 masculino Luís Perloiro provou que é um dos nomes em grandes ascensão neste circuito, com uma vitória num confronto 100% goofy sobre Marlon Lipke (2º), Eduardo Fernandes (3º) e Joaquim Chaves (4º).  Depois foi Sidney Guimarães quem surpreendeu, com uma vitória sobre o líder do circuito, Tomás Fernandes, e pouco depois, mais uma surpresa. Miguel Blanco e Jácome Correia “despacharam” Vasco Ribeiro e Derek Carrion, provando que na Liga MEO não há margem para erro, enquanto que Afonso Antunes foi o grande performer da fase, vencendo com notas altas e deixando Diogo Martins em segundo, Halley Batista em terceiro e Francisco Almeida, com uma interferência, em 4º lugar.

Os quartos de final man-on-man foram alguns dos melhores confrontos do dia e começaram com a vitória do líder do circuito, Tomás Fernandes, sobre o seu companheiro de equipa da Billabong, Luís Perloiro. Também Marlon Lipke bateu Sidney Guimarães, e Miguel Blanco e Diogo Martins protagonizaram o melhor confronto da fase, com várias notas altas, que acabou por ser vencido pelo campeão nacional em título. Para terminar a fase Jácome Correia surpreendeu um inspirado Afonso Antunes, para vencer e conseguir a sua primeira presença nas meias finais.

Até recentemente Tomás Fernandes encontrou dificuldades em transformar o seu surf em resultados consistentes e este ano, pelo menos na Liga MEO Surf, tudo mudou. O surfista da Ericeira tinha pela frente na primeira meia final um dos mais perigosos adversários do circuito, Marlon Lipke, mas conseguiu fazer uma das melhores médias da prova para seguir para mais uma final. O resultado podia ter-lhe garantido o título nacional por antecipação, mas um dos seus adversários tinha outros planos. Se Miguel Blanco tivesse perdido a bateria seguinte, teria perdido também a disputa pelo título nacional mas não encontrou grande oposição da parte de Jácome Correia e seguiu para a final. Mesmo aí, se Tomás vencesse, seria campeão nacional mas Blanco atacou do início ao fim. Na sua segunda onda Blanco fez 8.25 com um aéreo reverse abusado e com um back up de 6.75 deixou Tomás a correr atrás. Fernandes respondeu bem com duas ondas muito fortes mas não conseguiu virar o resultado e a disputa ficou adiada para a última etapa do circuito.

Na final da prova feminina, realizada antes da masculina, estavam as duas candidatas ao título, Yolanda Hopkins e Teresa Bonvalot, que tinha eliminado Concha Balsemão e Mafalda Lopes respectivamente, nas meias finais. Foi mais uma bateria muito equilibrada entre duas surfistas com um nível de surf muito alto, e no fim Teresa Bonvalot conseguiu virar o resultado e garantir a vitória com a nota mais alta da prova, um 9 pontos feito com duas manobras apenas, um snap no lip e um reentry.

O circuito segue agora para o Bom Petisco Pro Cascais, realizado entre 3 e 5 de Outubro ou, no caso das meninas, para Aveiro, onde se realiza o Miss Activo Cup, entre 3 e 4 de Agosto.

 

Comentários