Medina vence em Fiji e lança-se na disputa pelo título

publicado há 11 meses por 0

GABRIEL-MEDINA-VENCE-FIJI-PRO-2016

Apesar de não ter condições tão perfeitas como no dia anterior, o Fiji Pro fechou com a chave de ouro. E mesmo só havendo 7 heats por realizar a prova começou cedo e com ondas que em momentos lembravam Teahupoo.

Gabriel Medina começou o Fiji Pro com uma derrota, no round 1, mas a partir daí foi sempre a crescer e rapidamente se colocou com um “contender”. O seu heat mais fraco de toda a prova foi o dos quartos de final, contra Adriano de Souza, mas mesmo assim passou com facilidade. Medina é um daqueles surfistas que faz a sua própria sorte e quando não apanha ondas com potencial de fazer boas notas começa a “inventar” e foi assim que eliminou o campeão mundial de 2015.

No heat seguinte Kelly Slater fez a melhor performance do dia, muito graças ao seu adversário, Wiggolly Dantas, que deixou passar algumas das melhores ondas que entraram. Com dois grandes tubos Kelly fez a média de 18.70 e deixou claro que tinha potencial para vencer de novo.

Nos restantes dois heats dos quartos de final os favoritos acabaram eliminados. Mick Fanning alternou na liderança várias vezes com “Ace” Buchan e acabou por ficar um pouco atrás com a última troca de ondas. Também John John Florence, um surfista que muitos esperavam que se encontrasse na final com Medina, foi surpreendido por um inspirado Matt Wilkinson. Mesmo se perdesse este heat Wilko chegaria a Jeffreys Bay com a lycra amarela, mas a sua liderança poderia “emagrecer” muito. E, apesar de ter feito alguns erros, a vitória foi sua e a sua disputa pelo título tornou-se mais “real”!

Nas meias Medina mostrou que é o “homem do momento” e não teve grandes dificuldades em descartar o surfista mais dominante da história desta prova, Kelly Slater. Também Wilkinson conseguiu despachar o seu melhor amigo no tour, Buchan, fazendo assim a sua terceira final do ano.

Uma vitória sobre Medina colocava Matt numa posição incrível sobre todos os seus adversários, mas o brasileiro estava simplesmente imbatível. Nunca um surfista conjugou tubos e aéreos numa onda como esta da maneira que Medina o fez nesta etapa. Tanto que deu combinação ao líder do circuito e com a vitória lança-se na disputa pelo título.

Gabriel Medina está na posição em que muitas vezes Kelly Slater esteve nos anos 90. Nessa década conseguiu sempre recuperar e vencer a maioria dos seus títulos. Será que a história se repete ou terá Wilko (e quem sabe Florence ou de Souza) capacidade de manter alguma distância?

Comentários