Depois de uma “maratona” de heats realizados na Praia dos Pescadores e de um dia com as condições a acertar em Ribeira D’Ilhas, o berço competitivo do surf português mostrou as suas melhores ondas!

Com sets a rondar o metro e meio e o vento off-shore a contribuir para que as condições estivessem a roçar o épico, o Ericeira World Junior Championships 2016 terminou com a “chave de ouro”!

A prova começou com os quartos de final man-on-man masculinos e Soli Bailey foi o primeiro vencedor do dia. O australiano melhorava assim o seu 5º lugar de 2014 ao bater um dos melhores mas mais inconsistentes surfistas da sua geração, Hiroto Ohhara.

Depois seguiu-se uma batalha “europeia” que defrontava um surfista das Ilhas Guadalupe, Tim Bisso, e um do Tahiti, Mihimana Braye. O tahitiano foi uma das grandes revelações do evento, mostrando no dia anterior um backside impressionante. Mas Bisso é uma espécie de “Nat Young” da Europa, com um surf de backside um pouco “mecanizado” mas implacável, vencendo a bateria. De seguida o italiano Leonardo Fioravanti passou apertado por mais um destaque tahitiano O’Neill Massin.

Já a bateria de Lucas Silveira e Kanoa Igarashi “fechou” os quartos de final com um dos melhores heats de todo o campeonato. A média de cada um seria suficiente para vencer qualquer outro heat desta fase já que ambos contavam com ondas de 9 pontos. A Igarashi faltou o backup que era de apenas 7.17 quando precisava de 8.61, já que a segunda onda de Silveira era de 8.4 e o brasileiro venceu mais um heat.

Seguiram-se as meias finais femininas onde se encontrava a portuguesa Teresa Bonvalot, que tinha como adversária a campeã mundial em título, Mahina Maeda. No ano passado Teresa terminou em 5º lugar e sentia-se ainda uma certa diferença de surf para as figuras de topo mas em 2016 Bonvalot encontrou-se de igual para igual com as suas adversárias ou mesmo em vantagem quando a prova aconteceu na Praia dos Pescadores. Neste heat Mahina escolheu melhor as ondas e acabou por vencer, deixando a portuguesa fora da combinação mas a precisar de melhorar as suas duas notas.

Também Holly Wawn, na segunda meia final, provavelmente teria passado o seu heat caso a prova ainda estivesse a decorrer no local alternativo. Mas em Ribeira a australiana Isabella Nichols conseguiu encaixar os seus belos carves, fazendo alguns dos melhores “arcos” da prova feminina e garantindo um lugar na final.

A final feminina foi completamente dominada por Isabella, que fez o seu melhor heat da prova até aí, batendo Mahina por combinação e assim sagrando-se campeã mundial!

E se na prova feminina a campeã fez uma prova “low profile” até à final o campeão da masculina foi destaque desde a primeira fase. Lucas Silveira perdeu no round 1 para Jacob Willcox mas não o fez sem ter pontuado a melhor nota do heat, um 9.17. Daí em frente em quase todos os heats o brasileiro fez notas excelentes, incluindo uma nota 10. Nas meias finais bateu o perigoso Leonardo Fioravanti, e teria como adversário Tim Bisso, que tinha eliminado Soli Bailey no heat anterior.

Tim Bisso é sempre um adversários perigoso, mas mais ainda em point breaks onde pode dar uso ao seu forte backside. Mas esta final foi totalmente dominada por Lucas Silveira, que encheu as ondas de fortíssimos carves de rail. E assim terminou o Ericeira World Junior Championships, com dois muito merecidos campeões mundiais!

Comentários

Os comentários estão fechados.