O último dia do Quiksilver e Roxy Pro France viu as condições do mar em constante mudança mas quase todas as fases tiveram ondas boas.

Cedo no dia Matt Wilkinson, Willian Cardoso, Pat Gudauskas e Michael Rodrigues foram eliminados no round 4, enquanto que Ryan Callinan provou que os seus heats anteriores não foram um fluke, conseguindo a melhor média do evento a surfar de backside.

Nos quartos de final Ryan venceu de novo, desta vez eliminando Jordy Smith, enquanto que Julian Wilson escapou por pouco num heat equilibrado com Owen Wright e Gabriel Medina ganhou a liderança do tour ao eliminar Sebastian Zietz. Na primeira meia final, como já se esperava, Callinan usou o seu repertório moderno para eliminar Conner Coffin. O heat seguinte tinha grandes implicações na disputa pelo título já que se Gabriel Medina vencesse conseguiria uma grande distância no ranking para os restantes candidatos ao título. E tudo parecia estar encaminhado para o brasileiro, até que Julian arriscou tudo num grande aéreo de backside e recebeu uma nota 10 que eventualmente lhe garantiu um lugar na final.

Entretanto a final feminina foi vencida por Courtney Conlogue que esteve lesionada durante grande parte do ano mas voltou a mostrar o seu valor ao bater a wildcard de 17 anos, Macy Callaghan.

Callinan começou bem a final mas eventualmente Julian Wilson voltou a dar um aéreo parecido ao da nota 10, e passou para a frente, vencendo a prova. Este era o melhor cenário que o australiano, Wilson, poderia querer, diminuindo assim a diferença entre ele e o novo líder do circuito, Gabriel Medina. A disputa está neste momento muito equilibrada, deixando (infelizmente) a certeza de que o título mundial será decidido em Pipeline e não em Portugal.

 

Comentários