Jesse Mendes domina Billabong Pro Cascais presented by Allianz

publicado há 6 meses por 0

jesse-mendes-vence-billabong-pro-cascais-presented-by-allianz

Terminou hoje a mais importante prova do circuito de qualificação da WSL na Europa, o Billabong Pro Cascais presented by Allianz.

À semelhança dos todos os outros dias de prova, este foi mais uma “jornada” deste evento de que nenhum competidor se pode queixar. As ondas estavam ligeiramente mais pequenas que no dia anterior e até com um pouco de vento, mas isso não impediu de se ver mais um grande dia de surf.

O grande destaque do dia foi sem dúvida Jesse Mendes, o mesmo surfista que no dia anterior fez a melhor nota do evento, um 10! Mas o seu percurso não foi fácil e logo no primeiro heat do dia esteve a segundos de ser eliminado. O seu adversário, Joan Duru, apostou nas direitas e os seus batidões de backside foram bem pontuados. A meio do heat Mendes, que estava a surfar nas esquerdas, deu tudo numa manobra na junção e quando recuperou desse arriscado snap layback passou para a frente. Mas foi apenas por segundos pois quando caiu mais uma nota de Joan, o francês voltou ao primeiro lugar. Nos últimos segundos Jesse finalmente conseguiu recuperar a prioridade e com mais um aéreo reverse impressionante conseguiu a nota de 8.4, mais 0.3 do que precisava e avançou para as meias finais.

De seguida Bino Lopes superar Ryan Callinan numa bateria renhida, e o terceiro heat dos quartos de final foi mais uma grande batalha. A menos de dois minutos do fim o norte-americano Tanner Gudauskas tinha prioridade e o seu adversário Ian Gouveia precisava de uma nota de 8.88. Infelizmente, para Gudauskas, o filho de Fábio está numa fase incrível e mesmo numa onda com pouco potencial deu um aéreo incrível e virou a bateria.

Seria de esperar que a final fosse 100% brasileira já que apenas uma vaga das meias finais era ocupado por um “gringo”, Jeremy Flores, que tinha feito um heat fortíssimo contra Jack Freestone para marcar presença na fase seguinte.

Jesse bateu por pouco Bino Lopes na primeira meia final mas na segunda Jeremy Flores provou que experiência ainda bate inspiração. O francês estava a precisar de pontos para se manter no tour e tratou de deixar Ian Gouveia em situação de combinação. Foi isso que o salvou pois o brasileiro tem feito um “milagre” por heat, mas nunca dois. Desta vez usou o seu trunfo para sair da combinação, quando acertou um surpreendente “kerrupt air” e recebeu 9.67. ficando a precisar de apenas 7.46. Ficou a faltar também tempo e Gouveia acabou em 3º lugar na etapa.

A final foi mais um grande heat e seria Jesse Mendes o grande vencedor, apesar de Jeremy ter ficado muito perto. Mendes está para entrar no Championship Tour há vários anos e este resultado poderá dar a volta ao seu ano!

Comentários