Jamie Mitchell vence Nazaré Challenge | Macedo e Silva finalistas

publicado há 4 semanas por 0

jamie-mitchell-vence-nazare-challenge

O Nazaré Challenge, o primeiro evento do circuito de ondas grandes da WSL realizado em Portugal, começou hoje bem cedo e condições épicas. Com ondas enormes, como já era esperado, o publico português apareceu em massa e desde cedo era previsível que se iria assistir um evento especial.

Logo na primeira bateria João Macedo, o surfista português com mais experiência em campeonatos de ondas grandes, mostrou muita atitude e local knowledge, e a meio da bateria já tinha surfado três “bombas”. Com quase 20 minutos para o fim do heat a bateria estava ganha e a disputa passou a ser pelos 2º e 3º lugares, que ficaram para Damien Hobgood, que só surfou uma onda mas foi uma das mais impressionantes de todo o evento e Aaron Gold, que ficou em 3º lugar. De fora ficou um dos favoritos, Greg Long, que estava na disputa pela liderança do circuito e acabou por cair uma posição.

Alex Botelho começou bem o heat seguinte, com uma onda sólida. Infelizmente faltou uma segunda onda, que acabou por ditar a sua derrota para Grant Baker, Pedro Calado e Nic Lamb. Na mesma bateria Koa Rothman não surfou qualquer onda e Andrew Cotton também era eliminado.

No heat 3 estavam dois portugueses de quem se esperava muito, António Silva e Nicolau Von Rupp. Seria o mais veterano dos dois, Silva, quem mostrou mais ritmo, surfando 3 ondas com sucesso. A última, uma direita pesada, serviu para passar para terceiro lugar atrás de Christian Merello e Trevor Carlson. Von Rupp era um dos surfistas de quem o publico na praia mais esperava mas não chegou a apanhar ondas de consequência e acabou eliminado juntamente com Kai Lenny e Billy Kemper.

Também Hugo Vau, um surfista português mais conhecido pelas suas prestações em tow-in, surfou as esquerdas como João Macedo e foi bem recompensado. E poucos minutos Hugo apanhou duas ondas gigantes e mesmo tendo passado em segundo, atrás de Jamie Mitchell, fez uma das melhores médias de toda a prova! Em terceiro passou Carlos Burle, um surfista brasileiro que foi o primeiro campeão mundial de ondas grandes.

Nas meias finais, já com algum vento off-shore, que dificultava o arranque, João Macedo mostrou novamente o que vale, estendendo os seus limites no mesmo pico que surfou anteriormente e garantindo a terceira posição atrás de Nic Lamb e Pedro Calado e eliminando mais três grandes nomes, Grant Baker, Damien Hobgood e Aaron Gold.

Na segunda meia final Hugo Vau não conseguiu repetir a “magia” da bateria anterior e foi eliminado. Também António Silva parecia estar em vias de ser eliminado mas fechou bem o seu heat e passou em segundo atrás de Jamie Mitchell e Carlos Burle. António mostrou-se surpreendido com a qualificação, tendo acabado por entrar para a final um pouco mais tarde.

No derradeiro heat Silva mostrou estar muito perto da exaustão e acabou por adoptar uma estratégia que não jogou a seu favor, ficando muito fora no outside. Caso tivesse entrado mais uma “bomba” Toni poderia ter acabado numa posição mais perto do topo mas acabou em sexto lugar. Já João Macedo manteve a sua estratégia de apostar nas esquerdas e pagou o preço. Na sua primeira onda voou do lip e ainda ficou perto de aguentar o drop, mas era impossível e deu um dos maiores wipe outs do evento. O resultado foi uma prancha partida e uma visita à areia para ir buscar outra “arma” para ondas gigantes. De volta ao pico João apanhou outra onda incrível e surfou com sucesso. No entanto pouco depois quebrou uma das maiores ondas do dia mesmo à sua frente e o surfista da Praia Grande sofreu mais uma vez um dos momentos mais pesados de todo o evento, sendo “varrido” até terra! Já na areia foi aconselhado a não voltar, para recuperar, algo que acabou por fazer, até porque faltavam poucos minutos para terminar a bateria. Os seus feitos heróicos valeram-lhe a 3º posição, à frente também de Nic Lamb e Pedro Calado.

O vencedor seria um dos grandes destaques desde o início do campeonato, Jamie Mitchell, seguido de Carlos Burle. E assim terminou uma das provas de surf mais impressionantes da história do surf português, um evento que vai ficar na memória de todos os que assistiram durante muito tempo!

Comentários