Como esperava o Margaret River Pro, quarta etapa do Championship Tour da WSL, avançou no “slab original” de The Box, uma perigosa direita perto do “Main Break”.

O dia começou com um grande tubo de backside de Ítalo Ferreira, depois de um arranque “torto”, fazendo desta uma das ondas mais impressionantes do dia. Mas quem realmente se destacou foi o local Jack Robinson, que fez as 3 melhores notas do dia com grande facilidade, humilhando Filipe Toledo que, mesmo com um par de tubos, ficou com a média de 6.73 contra os 18.57 do aussie.

Outra surpresa foi a derrota de Gabriel Medina para Caio Ibelli. Faz em 2019 dez anos desde que os dois se defrontaram no campeonato que colocou Medina no mapa, no King of the Groms de 2009, um evento em que Gabriel fez duas notas 10 na final e ofuscou a presença do seu conterrâneo na mesma. Caio quase se vingou de Medina como wildcard em Portugal, em 2015, mas o actual 2x campeão do mundo virou mais um heat que parecia impossível. Em The Box foi Ibelli quem dominou o início do heat mas o actual número 10 do ranking ficou perto de virar o resultado. Perto do fim “Gabe” precisava de uma nota de 5.84 mas os juízes só viram 5.4 pontos na sua onda e aí acabou a sua prestação na Austrália.

Também Owen Wright, Seth Moniz e Kolohe Andino surfaram bem e eliminaram Ezekiel Lau, Griffin Colapinto e Michael Rodrigues respectivamente. Na última bateria no “slab” Julian Wilson bateu Jadson André, num confronto em que o brasileiro arriscou muito nos últimos segundos e fez o pior wipeout do dia, acabando por raspar no fundo, o que obrigou a prova a voltar ao main break. Aí os destaques foram Peterson Crisanto, que eliminou Joan Duru com a sua última onda, e Kanoa Igarashi, que bateu Ricardo Christie e manteve-se na cola do líder do tour, John John Florence, que também avançou para o round de 16.

Acompanha a evolução desta prova em directo AQUI!

Comentários