Apesar de vir fora da linha de tempo correcta, veio, e é isso que é importante! Por isso aqui fica a mini-entrevista ao último eleito pelo público na categoria “Free Surfers” para o MOCHE Capítulo Perfeito presented by Rip Curl, o surfista da Figueira da Foz, Ivo Cação.

Na edição do ano passado, Ivo Cação ficou em segundo lugar. Tendo nessa final Tiago Pires pela frente, quase que se pode dizer que Ivo foi o vencedor pois defrontar um surfista do WCT em ondas épicas em Supertubos é uma tarefa herculiana. Mas, quem assistiu à final, sabe que Ivo não deu a vitória fácil ao único português presente na elite do surf mundial.

Mas, talvez mais do que o resultado em si, o que (re)lançou Ivo Cação para o centro das atenções do surf nacional foi o facto de ter alcançado este resultado com o braço engessado. Se já é difícil desafiar os tubos de Supertubos estando em boa forma física, então fazê-lo com um braço com gesso, o que provoca “algumas” limitações de movimentos é sem dúvida um feito de louvar.

Ivo Cação é um daqueles surfistas que talvez por não estar mais regularmente no centro do país acaba por não ter a expressão a nível de media que merece. É um dos melhores surfistas da sua geração mas que nos últimos anos optou por apenas competir pontualmente, dedicando-se mais ao free surf. A sua casa, Figueira da Foz, produz ondas incríveis o ano todo e é por isso fácil perceber porque Ivo não quererá sair de lá muitas vezes.

Mas a verdade é que devia fazê-lo pois o seu surf merece ser visto pelos vários line-ups portugueses e nas principais competições nacionais, e com toda a certeza que haveria grandes benefícios para os dois lados.

Ivo Cação terá agora novamente uma oportunidade de ouro para mostrar o seu surf em condições épicas, podendo mostrar, novamente, que tem mais do que nível para derrotar os melhores surfistas nacionais. Por outro lado, poderá sentir alguma pressão por estar a defender um honroso segundo lugar.

Uma coisa é certa, no que toca a tubos e ondas perfeitas, Ivo Cação é mais um perigoso adversário mas que neste caso poderá ter do seu lado a determinação extra de querer o que não conseguiu o ano passado, a vitória (e caso não acuse a tal pressão)!

Aqui fica a sua mini-entrevista sobre o MOCHE Capítulo Perfeito presented by Rip Curl.

O que significa para ti ser eleito para o Moche Capítulo Perfeito? No geral todos os atletas escolhidos pelo público deverão estar bastante agradecidos, pois deram-lhes a oportunidade de estarem presentes numa prova com um formato fora do normal (um formato perfeito), onde para além da competição, poderão vir a tirar partido de um dia com ondas de gala, com apenas mais uma pessoa dentro de água. Não sou excepção, fico contente por ter sido um dos escolhidos novamente para participar, num evento que extreou o ano passado e correu bem. Pessoalmente motiva-me bastante surfar ondas perfeitas, ainda mais com apenas outra pessoa dentro de água. Se todas as provas fossem com ondas boas, a minha ambição, competitividade e vontade de ganhar certamente que cresceria exponencialmente!

O que pensas deste tipo de formato? Esta prova, à semelhança do ano passado, irá dar novamente um grande espetáculo ao público que estiver na praia, pois terão um anfiteatro natural, onde poderão ver os melhores surfistas nacionais, numa das melhores ondas do país. Pelo que ouvi, este ano haverá a possibilidade de seguir um modelo idêntico ao do World Tour, com fases de onde não haverá perdedores e eliminatórias com apenas dois atletas. São características que dão ao surfista oportunidade de se concentrar bem mais do que nas outras provas com quatro atletas, para além de que para o público o espetáculo aumenta e torna-se mais intenso.

Fizeste algum tipo de campanha? Felizmente para mim ou qualquer outro atleta da zona, a comunidade da Figueira da Foz é bastante “unida” neste tipo de coisas. Com certeza que contei com bastantes votos de imensas pessoas da minha zona. Todos os outros votos vieram certamente das pessoas que gostaram da minha prestação no evento do ano passado (com o braço ao peito).

Pensas que há algum nome que deveria ser obrigatório estar presente e não está? Se a escolha final fosse minha, esta lista teria algumas alterações. Mas ainda bem que não fui eu a escolher, porque acho que a escolha do público é sempre afectada pelos resultados competitivos e pelo estilo que mais agrada. Não queria que a responsabilidade de escolher os melhores surfistas portugueses para surfar ondas de gala nos SuperTubos passasse por mim. De qualquer forma, gostaria de encaixar estes surfistas: Paulo “do Bairro” Rodrigues, Miguel Fortes, Tiago Oliveira, Ruben Gonzalez, Filipe Jervis, Belmiro Mendes.

Amanhã começaremos o curto ciclo de mini-entrevistas aos dois wildcards, o local de Supertubos da nova gerção de Peniche, Guilherme Fonseca, e o surfista que dispensa qualquer tipo de apresentações, Tiago Pires. O primeiro entrevistado, amanhã, será a pequeno Guilherme Fonseca.

(Ivo Cação sobre MOCHE Capítulo Perfeito)

YouTube Preview Image

 

Comentários

Os comentários estão fechados.