Depois de uma tentativa mal sucedida de mudança para o local original de prova, Snapper Rocks, no dia anterior, o Quiksilver Pro Gold Coast e Boost Mobile Pro Gold Coast voltou a Duranbah para terminar o evento.

As ondas estavam de qualidade duvidosa, com menos oportunidades que nos dias anteriores, mas nem por isso o surf foi pouco impressionante. Primeiro na água esteve a prova masculina, num confronto muito equilibrado entre John John Florence e Conner Coffin, que foi vencido pelo havaiano. O mesmo se passou na bateria seguinte, em que Kolohe Andino e Josh Moniz disputaram taco a taco a qualificação para a fase seguinte e, no fim, Andino mostrou-se ligeiramente mais experiente e seguiu em frente.

Logo depois Gabriel Medina fez algo muito incaracterístico, talvez frustrado pelas condições, esperou muito pelas suas ondas. Entretanto Jordy Smith foi crescendo ao longo da bateria e no fim o bicampeão mundial foi eliminado a precisar de uma nota de 81.7 pontos, um requisito alto para este dia. Já Wade Carmichael surfou no limite das suas capacidades neste tipo de ondas mas não chegou para superar Ítalo Ferreira.

Já nas meias, Andino não precisou de chegar aos 10 pontos para bater Florence, em mais um confronto de notas baixas, abrindo assim o seu ano com uma final. Na bateria seguinte a história foi diferente pois tanto Ítalo como Jordy acertaram alguns aéreos abusados e no fim foi o representante do Brasil quem seguiu para a final.

Ítalo Ferreira, apesar de ser um daqueles surfistas que aparenta estar sempre com “energia positiva”, parecia estar um pouco abalado por ter partido a sua prancha mágica no dia anterior mas, como disse numa entrevista, estava bem munido e continuou o seu ritmo avassalador. Apesar disso a pouco mais de 2 minutos do fim encontrava-se em segundo lugar, sem prioridade e a precisar de uma nota de quase 7 pontos. Kolohe Andino acabou por o deixar ir numa onda pequena e com pouco potencial mas, claro, Ferreira deu um grande aéreo reverse de backside para roubar a liderança do heat e arrancar na frente do circuito mundial.

A prova feminina já ia nas meias-finais e logo no primeiro heat Caroline Marks derrotou uma inspirada Malia Manuel, a caminho da sua primeira final no Championship Tour. Do outro lado da grelha vinha Carissa Moore, que tinha derrotado Sally Fitzgibbons mas na final não conseguiu acompanhar o ritmo da mais jovem surfista do tour, Caroline, que venceu com forte vantagem e assim passou a liderar o tour pela primeira vez.

A próxima prova será o Rip Curl Pro Bells Beach, que se realiza entre 17 e 27 de Abril.

Comentários