O dia final do Vans US Open of Surfing teve poucas ondas em Huntington Beach, mas muito drama. Foi um dia de poucas oportunidades, com heats decididos entre ondas que ligavam com o inside VS ondas que não ligavam, mas o heat mais importante do dia seria decidido de maneira diferente.

Era a primeira meia final, que juntava o local boy, Kanoa Igarashi, que tinha como um dos grandes objectivos da sua vida vencer esta etapa e já tinha sido parado duas vezes nas meias finais. O seu adversário era o “dono” desta etapa, Filipe Toledo, bicampeão da prova e vencedor da etapa mais recente do Championship Tour.

Seria uma repetição de um heat que se realizou no CT do Brasil, este ano, em mais que um aspecto. Tudo começou com uma disputa pela primeira onda. Kanoa vinha na direcção para surfar a esquerda, Filipe vinha de olha na direita. Nenhum dos dois hesitou, até que chocaram e Igarashi caiu. Mas os júris decidiram que a onda era de facto uma esquerda e foi Toledo quem levou a penalização de 50% do sua segunda melhor nota. O cenário foi idêntico ao que aconteceu no Brasil mas aí Filipe exagerou nas suas reclamações aos júris e acabou por ser deixando de “castigo” na etapa de Fiji do tour. Desta vez o brasileiro foi mais calmo, tentou virar o heat com várias manobras abusadas e ficou perto, mas foi eliminado.

 

2US-Open

 

Na final o norte-americano, que passa grande parte do ano em Portugal, foi imbatível e colocou o seu adversário, Tomas Hermes, em combinação. O brasileiro ainda saiu da “combi”, mas foi temporário e Kanoa Igarashi venceu mais um grande evento e saltou para a 3º posição do ranking QS.

Já na prova do Championship Tour feminino só sobravam quatro surfistas e nem todas eram “as de sempre” nesta fase.

De facto estava prova foi cheia de upsets, que começaram logo no round 2. Foi no heat 3 desta fase que a francesa Maud Le Car começou muito bem o seu heat contra Stephanie Gilmore e acabou por eliminar a número 3 do ranking.

Mais drama surgiu quando Carissa Moore, que está a ter o pior ano da sua carreira mas que se esperava que desse a volta por esta altura, falhou os quartos de final via round 3, e defrontou a nova e reinventada Sage Erickson no round 4. A havaiana simplesmente não conseguiu fazer grandes notas e acabou eliminada a precisar de 8.39.

Sage não ficava por aí, batendo a número 2 do mundo, Sally Fitzgibbons na fase seguinte a caminho das meias finais pela segunda vez este ano. Tyler Wright, líder do ranking, teria esfregado as mãos se não tivesse sido eliminada no heat anterior por Coco Ho.

Ainda nessa fase, mais no início, a número 10 do ranking, Tatiana Weston-Webb, eliminava Johanne Defay, vencedora desta prova em 2015 e actual top5 do circuito. Do top 8 sobrou apenas Courtney Conlogue, que eliminou Pauline Ado nos quartos de final e tinha aqui uma boa oportunidade se chegar mais perto do topo do ranking.

 

3US-Open

 

Mas não era meant to be. Sage Erickson bateu Conlogue logo depois de Tatiana ter derrotado Coco. Na final Sage soube esperar pelas melhores ondas e na última troca passou para a frente, vencendo a sua primeira etapa no circuito.

Comentários

Deixe uma resposta